Diretor da Confraria de Santo António de Viseu critica falta de coordenação nos serviços técnicos responsáveis pelos processos de internamento e adoção de crianças

O cónego Arménio Lourenço considera que os serviços envolvidos estão “dispersos e não dialogam”.

O cónego defende que a adoção deve acontecer o mais cedo possível.

Sobre a adoção por casais do mesmo sexo, o diretor geral da Confraria de Santo António de Viseu diz que aceita desde que os interesses das crianças sejam salvaguardados.

A posição do Cónego Arménio Lourenço, diretor geral da Confraria de santo António de Viseu. Uma entrevista que pode hoje ouvir na Rádio Jornal do Centro às 16h00 e 23h00.

Aceda a mais INFORMAÇÃO e CONTEÚDOS EXCLUSIVOS sobre a REGIÃO de VISEU, ASSINE o JORNAL do CENTRO!