“Gosto do vazio e criar o que me apetece”

Há mais de 15 anos que Tilhon expressa a sua veia criativa através do Hip Hop. Em Viseu, a sua terra natal, é uma referência enquanto músico e cara de uma cultura ligada à arte de rimar. Lançou “Bunker”, o álbum a solo que conta com a participação de vários amigos. Gosta do vazio a partir do qual cria o que lhe apetece.

A guitarra é a sua companheira e o elemento basilar de toda a sua composição. Com uma cultura ligada ao Hip Hop cada vez mais proeminente, Viseu começa já a ter nomes que se sobressaiem na cena musical. Tilhon (a alcunha que surge do nome Castilho e do filme “O Padrinho”) é um deles.

Em 2000, Tilhon (André Castilho) já tinha o DSL Team que o acompanhava nas aventuras musicais. As músicas, literalmente, “passavam de mão em mão”. “As redes sociais ainda estavam no início”, recorda o músico que aproveitava beats já feitos para lhe colocar a rima em cima.

Com o grupo lançou várias mix tapes. Ficaram conhecidas canções como “Despedida” ou “Renascer das Cinzas” e uma imagem que transportava uma juventude para a cultura da rua.

Começou aqui um percurso que Tilhon quer continuar a traçar enquanto sentir a necessidade de escrever e partilhar o seu trabalho. “Preciso da manta, do beat, para começar a escrever. É assim que crio”, conta, lembrando que sempre gostou de ler e escrever.

A guitarra é outra das suas paixões. Desde pequenino que começou a apreender no Conservatório de Viseu e, mais tarde, acabou por tirar uma licenciatura na área. E é a guitarra que distingue o que agora produz.

Em 2012, o músico, e também professor, começou a dedicar-se à produção de beats e em 2015 lançou o primeiro álbum a solo de orginais – Calix – que relata acontecimentos marcantes da sua vida.

Trabalhos em Hip Hop onde também se consegue ouvir a sua influência pela música flamenca ou pelo fado. Um ano depois, e com muito material para partilhar, lançou-se na apresentação de “Bunker” o último trabalho que lhe está a dar uma maior projeção e o tem levado a pisar cada vez mais palcos no país.

Recentemente, “voltou” a casa num concerto de cumplicidades na Semana Académica. Para os próximos tempos, já tem atuações para Lamego, Lisboa e Tábua.

A história de Tilhon e os amigos que o acompanham pode ser ouvida este sábado, às 19h00, na Rádio Jornal do Centro em 98.8 ou em www.jornaldocentro. pt.

Temos orgulho em ser um semanário regional e falar do que é nosso, das nossas gentes e dos assuntos que fazem a atualidade da nossa região. Ao longo destes quinze anos, damos voz ao quotidiano do distrito, às estórias e histórias dos que nele vivem e que todos os dias, através do seu contributo individual ou coletivo, contribuem para o engrandecer e fazer progredir. Pautados por uma conduta ética e profissional, semana após semana, criamos um semanário exclusivamente feito para si. Ajude a imprensa regional e aceda a mais INFORMAÇÃO e CONTEÚDOS EXCLUSIVOS sobre a REGIÃO de VISEU,  ASSINE o JORNAL do CENTRO!