Vamos equipar uma casa na Feira de S. Mateus?

Feira de S. Mateus, Viseu
08-09-2018
 

Se pensa que a Feira de S. Mateus serve apenas para assistir a concertos e divertir-se na montanha russa ou nos carrinhos de choque, desengane-se. Na feira franca de Viseu também consegue equipar a sua casa.

Sofás, tapetes, camas, lençóis, janelas, aquecedores, piscinas, candeeiros, roupa, utensílios de cozinha, pratos, almofadas ou esfregonas, na feira mais antiga da Península Ibérica há de tudo um pouco. Mas comecemos pelo início, que é como quem diz, pela mobília...

Sofás que dão música

É no Pavilhão Multiusos que, quem visita a feira, pode encontrar todo um mundo relacionado com quartos, salas e cozinhas. Num dos vários stands está uma empresa de Freamunde, Paços de Ferreira, que comercializa todo o tipo de móveis para quarto, sala e cozinha. Expostos estão alguns exemplos de sala e quarto, onde se destaca um sofá com sistema de som incorporado.

A empresa do norte do país está na Feira de S. Mateus há 30 anos, atualmente o único certame do género onde marca presença. “Tentamos respeitar esta feira que fazemos há muitos anos. Há uma certa intimidade entre a empresa e a feira, sempre nos acolheram bem. Fazemos várias feiras internacionais, mas em Portugal é só esta”, assegura André Leal. No norte, têm duas lojas abertas ao público e a fábrica onde produzem móveis e sofás a gosto e por medida.

André Leal conta que o cliente da Feira de S. Mateus tem vindo a mudar. Hoje vêm, visitam e compram. “Cada vez vemos mais o tipo de cliente que não vem só visitar. Esta é uma feira que começa a ser de um público que quer comprar”, conta.

Cozinhas para todos os gostos

De Castro Daire, mais propriamente de Santa Margarida, vem uma empresa que se dedica à produção de cozinhas e que tem tudo o que é necessário para as equipar, bem como salas e quartos. No stand estão expostos dois exemplos de cozinha.

É numa bancada, devidamente posta e decorada, com pratos e copos, que Sérgio Teixeira, responsável pelo marketing da empresa, conversa com o Jornal do Centro. “Marcamos presença na Feira há 10 anos. Apresentamos soluções inovadores e tentamos ser diferenciadores”, assegura.

No certame faz-se negócio, mas a longo prazo. “Ao longo do ano trabalhamos os clientes que passam por cá. Aqui tiram ideias, porque o que está exposto nem sempre se enquadra no espaço que o cliente tem”, explica. 

Pratos e panelas. Tapetes e cobertores

Montado o quarto, a sala e a cozinha com móveis e sofás, e até colchões, é agora preciso comprar um sem número de objetos. Na banca de Célia Coimbra, no espaço ao ar livre da Feira, pode encontrar pratos, copos, canecas, jarras e até as tradicionais peças de barro negro de Molelos.

Célia Coimbra faz a feira por conta própria, mais o marido, há 35 anos, mas desde os sete que marca presença em Viseu. Ia com a mãe que, já na altura, tinha na sua banca vários utensílios de cozinha. Para a comerciante, “hoje em dia a feira é mais bonita”. Quanto ao tipo de cliente, “é relativo. Antes não hav ia hipermercados e as pessoas compravam aqui. Mas também não tinham tanto poder de compra . Va i dependendo”, explica.

Pratos e copos comprados, seguimos para as bancas vizinhas onde se podem adquirir lençóis, tapetes, cobertores, toalhas, almofadas ou roupa para encher o guarda fatos do elemento mais novo ao mais velho da família. 

Aquecedores, janelas e piscinas

E quando se caminha a passos largos para o outono (até ao inverno é um tirinho!) há que pensar já no aquecimento da casa. E na Feira de S. Mateus também o pode fazer. Seja a comprar aquecedores ou janelas.

Feitas todas estas compras, agora é preciso limpar tudo. O Zé das Esfregonas, como é conhecido, tem a solução. Ahh... E nem o jardim fica de fora... Na Feira há plantas e até piscinas.

Equipe a casa... e a barriga

E depois de fazer as compras para todas as divisões da casa há que encher o frigorífico (e a barriga). Pela Feira vai poder comprar doces, licores, compotas e fruta. O stand de Alda Cardoso é um desses exemplos. Esta é a sétima vez que está na Feira a apresentar os produtos da sua Quinta. Fruta, como maças, doces com pouco açúcar ou bolachas são algumas das iguarias que apresenta aos clientes. Por lá passam pessoas que já conhecem, “e até perguntam se há novidades”, e outros tantos que vão pela primeira vez.

Feitas todas as compras, se não couber tudo não há problema, na Feira há à venda malas de viagem!





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT