A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Andebol sénior do Carregal do Sal em risco de acabar

Edição de 28 de junho de 2019
28-06-2019
 

Em tempo de férias, em Carregal do Sal há o sentimento de que a próxima época pode não começar. O clube teme que o plantel sénior não seja competitivo o suficiente, tanto em qualidade, mas sobretudo em quantidade.

“Temos feito contactos, sobretudo com jogadores. Pelo que percebi vão entrar em competição mais equipas do distrito de Viseu, o que é bom, desportivamente. No entanto, no que toca aos recursos humanos, a missão torna-se mais complicada. Estamos a tentar fechar o plantel, mas está ainda tudo muito em aberto”, refere Gonçalo Borges, presidente da Associação de Desporto e Educação Física do Concelho de Carregal do Sal (ADEF-CCS).

O dirigente assegura que é difícil ter jogadores que queiram treinar com maior regularidade e acredita que os resultados desportivos aparecem muito devido ao treino. “Há equipas com outros plantéis, outras disponibilidades. Nós competimos com equipas de Aveiro, por exemplo, que têm um naipe de jogadores muito superior ao nosso. O andebol lá é muito forte, também na formação, e daí conseguem ter mais capacidade para captar atletas. É muito por aí”, argumenta.

O clube teve, na época passada, algumas dificuldades em aguentar o calendário devido às desistências à medida que o ano desportivo ia avançando. A estratégia passa pelos escalões mais novos. “Começámos em 2012 com a formação do escalão de base e fomos continuando a apostar nos atletas. Tínhamos iniciados que este ano vão passar a juvenis. Este ano ainda não vamos ter equipa de juniores, apenas para o ano, com a subida dos que serão juvenis esta época”, reforça o dirigente.

As dificuldades já vêm do ano passado

Com contratempos assumidos, a solução passa por apostar nos jovens. “Temos dois miúdos que, entretanto, foram formados, já têm idade de juniores e que podem ser chamados à equipa sénior.”. “A época passada não foi fácil. Ao início, inscrevemos 19 jogadores, o que é muito, mas depois acabámos a época com nove ou dez. Houve jogadores que, por um motivo ou por outro, não deram o contributo à equipa”, descreve.

No total da época passada, em 20 jogos, o clube apenas ganhou um. Essa vitória, na fase regular, inclui-se num quadro que tem 19 derrotas. O Jornal do Centro sabe que, já nesta época que terminou no início deste mês de junho, o clube ponderou não participar na zona complementar, na qual participam os clubes que não conseguem os primeiros lugares que dão acesso à luta pela subida de divisão.

Ou seja, esta fase serve para que, as equipas que não atinjam o objetivo de lutar pela subida, não deixem de competir. Fonte próxima assegurou que o facto de estar prevista uma multa a aplicar aos clubes que não participassem nessa segunda fase da competição foi um dos principais motivos pelos quais a equipa continuou a competir. “Nós queremos continuar, a nossa ideia é essa. Só com uma resposta positiva por parte dos atletas é que ponderamos continuar com o projeto. De outra forma, não queremos repetir o que aconteceu na época passada”, refere Gonçalo Borges.

O presidente da ADEF-CCS diz que, pelo menos, no início dos trabalhos têm de estar assegurados 14 atletas com disponibilidade para jogar no clube. Faltam quase dois meses para o início e em Carregal do Sal não está assegurada a principal equipa de andebol do concelho.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT