A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

"O Krav Maga serve para evitar situações que acontecem todos os dias na nossa vida"

Edição de 4 de janeiro de 2019
 

Entrevista de desporto a Joaquim Rodrigues

Programa completo


06-01-2019
 

Joaquim Rodrigues é o homem que se dedica a ensinar as pessoas a defenderem-se no dia a dia. O Krav Maga é uma arte marcial originária de Israel e, em Viseu, conta já com perto de duas dezenas de participantes. Treinador defende que defesa pessoal é, atualmente, cada vez mais precisa.

O Krav Maga faz parte da sua vida desde quando?

Desde há alguns anos. Antes desta arte marcial pratiquei muay thai em França, luta greco-romana, entre outras. O Krav Maga veio depois.

Em que consiste esta arte marcial?

Permite, a quem a pratica, defender-se de tudo. O Krav Maga serve para evitar situações que acontecem todos os dias na nossa vida. No fundo, é uma defesa real. Muitas pessoas olham para o Krav Maga de uma forma errada.

Como assim?

A maior parte das pessoas pensa que o Krav Maga é uma forma de aprenderem a atacar os outros e isso está completamente errado. A ideia é que as pessoas consigam arranjar forma de se defenderem dos ataques que possam surgir. Não é uma arte marcial de ataque mas sim de defesa. É bom que as pessoas percebam isso.

Há quanto tempo está na região a dar aulas?

Já desde junho do ano passado que iniciámos as nossas aulas de Krav Maga. Damos aulas em Viseu, na Escola Secundária Alves Martins, na Escola de S. Cristóvão, em S. Pedro de France, e também na Associação de Gumirães.

Porque é que dá aulas em escolas?

Porque tenho lá tudo o que preciso. No início ainda pensei ir para ginásios mas acabei por desistir dessa ideia e ainda bem. Era completamente desnecessário e assim estou mais próximo das pessoas. Em S. Pedro de France eu já dava aulas de ginástica a alguns habitantes na antiga escola primária de S. Cristóvão. Entretanto, quando comecei o Krav Maga, os meus alunos pediram-me para ensinar a arte marcial também na freguesia e não apenas na cidade de Viseu. Falei com a Junta de Freguesia que me cedeu o espaço mais tempo para eu fazer lá as aulas. No caso da Escola Secundária Alves Martins, eu tinha lá feito um seminário e, entretanto, disseram-me que havia lá um espaço livre. Propus à direção a cedência do espaço que aceitou que as aulas fossem realizadas lá. Agora, em Gumirães, onde iniciei há dias também as pessoas da direção foram impecáveis comigo e cederam-me o espaço mal eu coloquei a proposta em cima da mesa.

Há já muitos atletas a praticar o Krav Maga?

Ao todo, são quase 20 os atletas e contamos que esse número aumente.

Há também mulheres e crianças...

Exatamente. Não há limites para idades, profissão ou sexo. O propósito do Krav Maga é a defesa perante o agressor. Tenho uma aluna que tem mais de 50 anos.

É uma arte marcial cara?

Não. Para participar nas aulas só é preciso um fato de treino, ténis e uma coquilha. Mais nada.

O que dizem os alunos

Céu Correia - “Interessei-me no Krav Maga porque achei importante ter umas noções de defesa pessoal. Nos dias de hoje todo o cuidado é pouco. Estou aqui desde o primeiro dia e tenciono continuar”

António Martins - “Eu já pratiquei várias artes marciais mas o Krav Maga é aquele que considero mais necessário para os dias de hoje”





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT