A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Pedro Almeida: "Estou orgulhoso no trabalho desenvolvido pelo Viseu 2001"

Edição de 31 de maio de 2019
02-06-2019
 

Está há quatro anos à frente do Viseu 2001. Pedro Almeida assume alguma aflição para garantir a manutenção na Primeira Liga de futsal, mas prefere olhar para o ecletismo do clube. Agora, o tempo é de balanços e Pedro Almeida garante estar orgulhoso do trabalho feito pelas direções que integrou.

A manutenção foi o ponto alto desta última época? 

O feito mais recente do Viseu 2001 foi a manutenção na Liga Sportzone da equipa sénior de futsal. Este feito foi muito bom para nós, como é óbvio, enquanto estrutura, porque tínhamos a noção que se caíssemos numa segunda divisão iríamos ter um percurso muito complicado para voltarmos a chegar ao patamar maior do futsal. Acho que nós demonstrámos que merecemos estar na Liga Sportzone e, por isso, ficámos muito felizes de termos conseguido este objetivo nesta primeira época.

Foi um ano aflitivo?

Foi um ano sofrido em termos de sentimentos, em termos daquilo que era uma angústia de ver que o trabalho poderia não ter o resultado final como nós pretendíamos. Quem olhasse para a tabela no primeiro terço diria que o Viseu iria ser uma das surpresas do campeonato. O que é certo é que, com o decorrer do campeonato, por um ou outro motivo algum desgaste, algumas lesões, a equipa do Viseu foi caindo. Graças ao nosso treinador e à nossa equipa técnica, conseguiram manter os níveis de concentração e os níveis de trabalho dos nossos atletas a um alto nível, que nos permitiram chegar à fase final do campeonato. Isso deve-se à estrutura técnica do futsal em geral, a todas as pessoas que estão a dirigir o futsal do Viseu 2001 e também ao mister Paulo Fernandes que foi o grande mentor destes últimos anos. A ele também se deve a manutenção, como é óbvio.

Também foi um dos motivos para que o Paulo Fernandes continue no Viseu 2001?

Penso que sim. O mister Paulo Fernandes, que eu saiba, gosta muito da cidade e gosta muito das pessoas do Viseu 2001, que são pessoas honestas, sinceras, trabalhadoras e sei que ele ponderaria ficar caso o desfecho não tivesse sido este. Sendo este o desfecho que todos nós esperávamos, inclusive o mister Paulo Fernandes, ficámos, certamente, muito mais felizes relativamente aquilo que será o futuro que já estamos a planear. Aquilo que nós pretendemos fazer para evitar esses sobressaltos é planear as coisas com mais tempo.

Termina estes quatro anos de mandato no Viseu 2001 com uma equipa sénior de futsal na Primeira Liga e com uma nova equipa B. Está orgulhoso do seu percurso no Viseu 2001?

Estou orgulhoso no trabalho desenvolvido pela instituição, não no meu trabalho propriamente dito. Consigo avaliar que, durante estes dois últimos mandatos em que estive envolvido, o Viseu 2001, felizmente, conseguiu três troféus de campeão nacional. Seja nas sub17 femininas, no campeonato de promoção, na 2ª Liga de futsal sénior; o Viseu 2001 conseguiu algo que nunca tinha conseguido. É um trabalho de 18 anos e espero bem que daqui a um ano ou dois o Viseu 2001 tenha mais troféus deste género. Que seja com outras modalidades. Temos agora dois ciclistas sub-23, dois jovens, o Simão Santos e o Dinis Rodrigues. Tiveram agora uma prova de BTT XCO, que é a vertente olímpica do BTT. Pontuaram por forma a estar numa taça do campeonato mundial. Vão estar numa prova da Taça do Mundo em Andorra. Ficaram em quarto lugar no Portugal Tour e pontuaram por forma a estarem numa prova mundial.

Falou nos recursos financeiros no Viseu 2001. Quem o suceder, o que é que tem de saber quanto a este ponto?

Por norma, com os atrasos de cada uma das entidades, nós acabamos a época desportiva sem recebermos nada. Não tínhamos consciência de chegar a esta altura sem que o Viseu 2001 recebesse. Foi um esforço muito grande. Aquilo que nós pedimos a quem nos ajuda é que não concentre todo o apoio numa determinada altura do ano e que o possa fazer de uma forma faseada, para fazer face àquilo que são as nossas dificuldades financeiras ao longo do ano.

Mesmo com dificuldades financeiras vai agora existir a equipa B que tem como objetivo formar jovens que possam subir para a equipa sénior?

É um projeto que nós vamos abraçar este ano. Pretendemos que realmente venha a ser um palco que traga não só a experiência e qualidade a jovens de Viseu e dos arredores da região, mas também que os preparem para que possam chegar ao patamar da equipa A, que está na Liga SportZone. Criarmos uma equipa mais competitiva, ao nível dos sub23, com jovens da região de Viseu, será o nosso principal objetivo com a criação de mais este escalão no Viseu 2001.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT