A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Bombeiros Voluntários de Viseu garantem que Hospital deve 22 mil euros

Edição de 23 de novembro de 2018
23-11-2018
 

O Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV) tem uma dívida que ultrapassa os 22 mil euros para com os Bombeiros Voluntários de Viseu (BVV), confirma o presidente desta instituição. Carlos Costa afirma que os atrasos nos pagamentos correspondem ao transporte de doentes não urgentes e que há faturas desde abril por pagar. Dois dias depois da direção dos Bombeiros ter alertado, em conferência de imprensa, para as dívidas do Estado (entre elas as que são imputadas aos hospitais) em valor superior a 100 mil euros, o Hospital de Coimbra avançou com um pagamento no valor de 28 mil euros.

Segundo a direção dos Bombeiros Voluntários, as dívidas à corporação, no total, ascendiam aos 100 mil euros, uma situação que deixava a tesouraria em “dificuldades”, nomeadamente para o pagamento dos salários e abastecimento das viaturas.

“O Hospital de Viseu tem uma dívida acumulada que ultrapassa os 22 mil euros. Basicamente abril, maio, junho e julho não estão pagos. Também lá temos algumas, poucas, facturas de 2015, 2016 e 2017. Quando agora ouço comentários da Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro dizer que não há dívidas, efetivamente, com esta entidade, as contas estão em dia mas o CHTV, infelizmente, tem uma dívida substantiva com os Voluntários de Viseu”, disse Carlos Costa.

Há uma semana, a ARS, em comunicado, avançou que o Centro Hospitalar de Viseu não tinha “qualquer dívida” para com os Bombeiros Voluntários de Viseu. “O hospital que, na região Centro, está em falta para com a corporação é o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra”, informava o mesmo comunicado.

“As dívidas existem, elas estão a saldar-se e espero que o Hospital de Viseu tenha também a mesma postura”, realça Carlos Costa, que anunciou que dois dias depois da conferência de imprensa o hospital de Coimbra avançou com um pagamento. “Infelizmente, isto não se pode resolver só quando se fazem alertas públicos ou conferências de imprensa. O que é preciso mudar é a postura”, alerta.

O Relatório e Contas publicado pelo Centro Hospitalar Tondela Viseu relativamente ao ano de 2017 indica que a 31 de dezembro desse ano, a instituição possuía atrasos de pagamentos a fornecedores externos no montante de 11 milhões e 350 mil euros e o prazo médio de pagamento era de 181 dias, mais 60 por cento do que o verificado em 2016. O Jornal do Centro soube, entretanto, que parte das faturas relativas aos Bombeiros Voluntários de Viseu ainda não foram verificadas, pelo que não estão na contabilidade.

Não foi possível contactar o Conselho de Administração da unidade de saúde.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT