A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Viriato está atrasado e só chega em 2020

Edição de 19 de abril de 2019
19-04-2019
 

O Viriato, o veículo de transporte público sem condutor que vai substituir o funicular de Viseu, está “atrasado”. Era para chegar no primeiro semestre deste ano mas a autarquia viseense anunciou que só em 2020. “Muitas vezes as vicissitudes dos estudos, as amarras da lei, vão atrasando um ou outro processo. Mas pensamos nós que no início do próximo ano possamos vir a ter o veículo não tripulado”, esclareceu João Paulo Gouveia, vereador com o pelouro da mobilidade da autarquia viseense.

O transporte “futurista” foi apresentado há precisamente um ano. Trata-se de um veículo elétrico autónomo com cerca de nove metros de cumprimento e capacidade para 24 pessoas. Vai fazer a ligação entre a Cava de Viriato e a parte histórica da cidade, parando a meio do percurso, nomeadamente junto ao Forum e ao cruzamento com a Rua Serpa Pinto. O percurso é o mesmo que tem sido feito pelo funicular (veículo mecânico) desde que foi inaugurado em setembro de 2009 e que, depois da sua “morte anunciada”, ainda continua a fazer o trajeto que iniciou há dez anos.

O Viriato vai integrar o sistema do MUV. Na altura da sua apresentação, Almeida Henriques, presidente da Câmara de Viseu, anunciou tratar-se de um “produto inovador” dentro da mobilidade urbana. “É um carro elétrico autónomo. Vai ajudar a resolver um problema porque o funicular, hoje, não é uma solução. O funicular é ruidoso, este será silencioso, é uma solução que custa muito ao município, este permitirá economizar cerca de 80 mil euros por ano à autarquia, para além de ser um transporte que vai estar a funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana”, anunciou o autarca.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT