A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Rastreio da doença venosa: gratuito e simples

optimal edition, farmacia
16-07-2019
 

A Farmácia Pinto de Campos, situada no Palácio do Gelo, em Viseu, realiza rastreios da doença venosa – uma anomalia do funcionamento do sistema venoso causada por uma incompetência das válvulas que existem nas veias, associada ou não à obstrução do fluxo venoso.

“A iniciativa surgiu com a necessidade, nesta altura do ano, especialmente, de agirmos na doença venosa. Assim, podemos diagnosticar e ajudar no tratamento e mostrar que a farmácia pode ajudar nesse sentido”, explica Ana Maria Pinto, farmacêutica.

Na época do verão há tendência ao agravamento da doença devido ao efeito da gravidade e da dilatação dos vasos. “O calor vai fazer com que não haja um retorno venoso tão eficaz e ao fim do dia ficamos com as pernas mais inchadas e pesadas”, sustenta Ana Maria Pinto.

A vantagem do rastreio gratuito é, segundo a farmacêutica, evitar a ida ao médico, a acessibilidade e o apoio no aconselhamento de produtos.

Para fazer o rastreio, coloca-se um gel na zona da veia safena, localizada na zona posterior do calcanhar, para obter o som do bombear do coração e o batimento cardíaco. “Dependendo do ritmo podemos notar alguma falha no som, ou seja, pode estar a veia entupida. Aí temos de tentar dar esclarecimento à pessoa”, explica Carolina Lucas, enfermeira.

O principal fator que provoca a doença venosa é hereditário. Mas, passar muito tempo sentado, ser sedentário ou tomar hormonas também pode influenciar.

Alguns dos sintomas passam por dor na perna ao caminhar, sensação de perna pesada e cansada ou aparecimento de varizes e derrames, o principal sintoma, segundo Carolina Lucas.

“Quando começamos a ver a aranha vascular é [necessário] iniciar a toma de venoativos e utilizar meias de compressão, principalmente as pessoas que passam muito tempo de pé ou sentadas”, afirma a enfermeira. Um dos conselhos da especialista, indicado a quem passe muito tempo sentado, é levantar-se após 15 a 20 minutos para ativar a circulação.

“Aparece mais nas mulheres, mas nos homens também, e não há idade específica, contudo é mais a partir dos 45 anos”, alerta.

 

Exercícios a fazer:

Em casa pode, e deve, realizar exercícios como levantar o calcanhar, pôr uma almofada na zona dos pés para facilitar o retorno do sangue, no fim do banho convém passar um jato de água fria, sempre de baixo para cima para ativar a circulação, tomar medicamentos venoativos, como o Flabien que ajuda na parte anti inflamatória e na dor – toma 2 comprimidos diários, fazer sempre 4 a 5 semanas seguidas de tratamento, entre outros.

Apesar de não haver cura, estas estratégias servem para “parar a evolução da doença, a fim de que não haja progressão”, justifica Carolina Lucas.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT