A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Em Londres, a experimentar uma nova pedagogia de ensino

Edição de 5 de julho de 2019
07-07-2019
 

Natural de Nelas, Bruna Costa deixou a terra natal e rumou para Londres, em Inglaterra, há quatro anos. Na altura, estava a tirar um mestrado em Educação Préescolar e 1º Ciclo do Ensino Básico. Bruna recorda-se, “como se fosse hoje”, daquilo que lhe disseram quando decidiu mudar de país e de vida por não se sentir realizada e porque não concordava com o modelo de ensino português. “Os meus professores disseram que me iria arrepender se desistisse deste mestrado. Posso agora, com todas as certezas, dizer que foi sem dúvida o melhor que fiz”, defende.

Esta professora diz que encontrou em terras de sua majestade o trabalho que sonhava, uma nova pedagogia e uma forma de viver que a completam. “A transição do método monótono e tradicional português de ensino para o entusiasmante e revolucionário método Montessori foi de longe a melhor decisão”, refere.

Bruna decidiu emigrar para a capital do Reino Unido porque era lá que se encontrava o namorado. Em Londres, tomou conta de crianças. Também prosseguiu estudos a pedagogia de Montesssori e acabou por arranjar emprego como professora numa escola privada, que implementa esse mesmo método.

Esta docente não esconde que inicialmente sentiu “um choque de culturas”. “Apesar de ter uma boa base de inglês, não é definitivamente o mesmo. Este aspeto aliado à diversidade de culturas e sotaques complicou um pouco a transição”, conta, acrescentando que a “imensa diversidade não só em termos de cultura, mas de escolhas, moda e mentalidades” a fizeram adorar o país.

A agitação, a facilidade nas deslocações, os monumentos, a história e a vida em cada canto da cidade é o que mais gosta em Inglaterra. “Não há certamente o risco de nos aborrecermos nesta parte do mundo. O que menos aprecio é certamente a poluição, o frio, a chuva, o barulho constante e o estilo de vida elevado”, explica.

Quanto ao futuro, Bruna afirma que não é fácil dizer se vai ou não regressar a Portugal um dia. Recorda que é em terras lusitanas que tem a sua família, raízes e cultura, mas é em Londres que está o seu “presente”. “Apesar de dispendioso, é entusiasmante. Construí uma nova vida, novos amigos, um trabalho que adoro e um à vontade que por vezes me assusta. Não é algo que dedique muito tempo a pensar. Neste momento estou feliz onde estou”, conclui.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT