A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Cinco momentos em que deve levar o seu filho às urgências

Edição de 14 de junho de 2019
15-06-2019
 

Será que devo levar o meu filho à urgência? E se lá apanhar uma virose…. e se não for e piorar?

Existem várias situações em que se justifica levar o filho às urgências. Entre as quais destaco:

Criança Febril

Sabemos que 90% das doenças febris são virusais, não causam complicações e que a maioria se limita a 3 dias de febre. Então se tem febre não é para ser observado? Como pode saber um pai se é uma situação grave ou não? Se uma criança está bem nos períodos sem febre, por efeito do antipirético, brinca e ri, só será necessária observação se a febre persistir além dos 3 dias. Devem recorrer ao serviço de urgência se:

- A criança está prostrada, não interage, geme constantemente, está demasiado sonolenta, com vómitos mantidos, palidez marcada ou manchas no corpo que aparecem no 1º dia de febre;

- Tem menos de 3 meses idade;

- Apresenta convulsão febril.

Vómitos Incoercíveis

As crianças vomitam frequentemente, sendo a gastroenterite das causas mais comuns e tendo habitualmente carácter benigno.

As gastroenterites são frequentes, geralmente virusais e necessitam apenas de não deixar a criança desidratar (dar líquidos). Mas muitas vezes é difícil parar os vómitos, por isso, se após pausa alimentar e hidratação fraccionada, estes persistirem a criança tem que ser observada e pode ter que fazer tratamento hospitalar.

Quedas / Traumatismos

Este grupo constitui um dos motivos mais frequentes de ida à urgência. No entanto, a maioria das quedas nas crianças, não origina lesões preocupantes.

Pequenas quedas com hematomas ligeiros, mesmo que na cabeça, não necessitam de ser observados, mas sim vigiados. A radiografia não se justifica na maioria dos traumatismos cranianos, evitando-se exposição desnecessária a radiações.

A criança deve ser observada caso:

- Tenha traumatismo craniano com vómitos, perda de consciência, alterações comportamentais ou convulsões;

- Não consiga fazer a mobilização de um membro, apresente deformidade do mesmo ou dor com impotência funcional;

- Apresente feridas incisas.

Intoxicações / Queimaduras

As intoxicações e queimaduras são outro tipo de acidentes que ocorrem com alguma frequência.

Em caso de intoxicação deve contactar de imediato o Centro de Informação Anti Venenos (CIAV 808 250 143) e ao dirigir-se à urgência levar sempre a embalagem do produto que originou a intoxicação. De salientar que não se deve provocar o vómito.

As queimaduras podem necessitar de observação médica imediata dependendo da sua localização e extensão. No caso de acontecer, o importante é controlar a dor (administrar analgésico) e aplicar água fria no local (não gelada), protegendo a zona com uma compressa ou pano limpo.

Criança com Dificuldade Respiratória

Os sinais de dificuldade respiratória são: polipneia (respiração rápida e superficial); tiragem (“covinhas” intercostais, supraesternais e claviculares); adejo nasal (abrir as asas do nariz); gemido no final da expiração e cianose (coloração arroxeada das mucosas). Nesta situação aconselha-se observação imediata. Situações não urgentes/emergentes deverão recorrer a serviço de Atendimento Permanente e não Urgência Hospitalar.

Graça Carvalho, coordenadora de pediatria do Hospital CUF Viseu





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT