A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Hipertensão arterial

Edição de 10 de maio de 2019
12-05-2019
 

Em todo o mundo, a hipertensão arterial atinge aproximadamente mil milhões de pessoas, e em Portugal é um problema de saúde pública de elevada importância, afetando 42,2% da população adulta, constituindo a principal causa de morte e incapacidade no nosso país.

Com o objetivo de sensibilizar a população em geral para a importância do diagnóstico, prevenção e tratamento da hipertensão arterial, comemora-se a 17 de maio o Dia Mundial da Hipertensão. A pressão arterial é a força exercida pelo sangue contra a superfície interna das artérias. Esta força é gerada pelos batimentos cardíacos e pode ser modificada por diversos fatores que conduzem a uma subida, ou descida, da mesma.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a hipertensão arterial define-se como a elevação persistente da Pressão Arterial Sistólica (PAS) (valor máximo) e/ou da Pressão Arterial Diastólica (PAD) (valor mínimo), em várias medições e em diferentes ocasiões a partir dos valores:
PAS 140 mm Hg e/ou PAD 90 mm HG.

A falta de adesão ao tratamento é o principal obstáculo ao controlo eficaz da hipertensão arterial, por isso, é crucial sensibilizar o utente neste sentido. Assim, é importante educar o doente instituindo terapêuticas farmacológicas e não farmacológicas, uma vez que a hipertensão arterial é um fator de risco cérebro-cardiovascular, ou seja, favorece o aparecimento de complicações vasculares que afetam a integridade de determinados órgãos como o coração, cérebro e rins.

Destaco a adoção de estilos de vida saudáveis que poderão permitir reduções da pressão arterial de 2 a 20 mm HG, aumentando a eficácia dos medicamentos anti-hipertensores, possibilitando, desta forma, uma redução das doses e/ ou no número de medicamentos.

As principais intervenções no estilo de vida baseiam-se na adoção de:

  • uma dieta variada, nutricionalmente equilibrada, rica em legumes, leguminosas, verduras e frutas e pobre em gorduras;
  • prática regular e continuada de exercício físico (30 a 60 minutos, 4 a 7 dias por semana);
  • restrição do consumo excessivo de álcool (14 unidades por semana no homem e 8 unidades por semana na mulher, onde 1 unidade representa 125 mL de vinho ou 250 mL de cerveja);
  • diminuição do consumo de sal (valor ingerido inferior a 5,8 g/dia);
  • cessação do consumo de tabaco; -controlo e manutenção do peso normal (IMC 18,5 e 25, e perímetro da cintura 102 cm, no homem, e 88 cm na mulher).

Sabe-se, hoje, também, que a cronoterapia, meio de individualizar o tratamento da hipertensão de acordo com o perfil circadiano da pressão arterial de cada doente, tem cada vez mais influência nos resultados obtidos. A otimização da hora da toma dos medicamentos, cronoterapia, melhora significativamente a segurança e efetividade do tratamento.

Na Farmácia Grão Vasco, são muitos os utentes que procuram obter conhecimento sobre os valores da sua pressão arterial. Cabe-nos assegurar que a medição da mesma ocorre em ambiente acolhedor, sem pressa e com o doente sentado e relaxado, pelo menos durante 5 minutos.

Frequentemente, a medição da pressão arterial é realizada de maneira inadequada, não respeitando as condições padronizadas e recomendadas pelas guidelines da Sociedade Europeia de Hipertensão (European Society of Hypertension, ESH) e da Sociedade Europeia de Cardiologia (European Society of Cardiology, ESC).

Para minimizar esta situação, oferecemos aos nossos utentes uma Unidade de Apoio ao Hipertenso onde dispomos de um tensiómetro, totalmente automático e silencioso, que considera a média de diferentes medições de pressão arterial, respeitando um intervalo de 1 minuto entre cada uma. As medições realizam-se sem a presença de qualquer profissional de saúde, para evitar o denominado “Efeito da Bata Branca”. Com a eliminação de todas estas interferências, avaliadas no método utilizado no estudo SPRINT (Systolic Blood Pressure Intervention Trial) é possível a obtenção de valores mais precisos e altamente reprodutíveis, chegando por vezes a apresentar diferenças de 16 mmHg face a uma medição normal.

Vigie a sua saúde.

Aconselhe-se com o seu farmacêutico.

Andreia Ribeiro, farmacêutica da Farmácia Grão Vasco





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT