A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Aguiar da Beira precisa de fixar mais gente e criar incentivos à economia e à saúde

Edição de 19 de julho de 2019
21-07-2019
 

“O envelhecimento da população e a baixa natalidade constituem os principais sinais de alerta” do concelho de Aguiar da Beira. A conclusão é avançada pelo Diagnóstico Económico, Social e Prospetivo do município, criado pela Rede Social concelhia e que agora foi tornado público.

Segundo o documento, “o envelhecimento acentuado da população e a perda de residentes mais jovens, a par da baixa natalidade que tem vindo a persistir no concelho, com valores bastante reduzidos e das dificuldades no acesso aos serviços de saúde locais” são dos principais problemas que afetam o concelho.

O diagnóstico aponta ainda outras dificuldades, como “o nível reduzido de qualificações escolares e profissionais, a rede de transportes deficitária e incapaz de resolver os problemas de quem mais precisa, sobretudo fora da época escolar e a baixa autoestima sénior”.

Mais de 30 propostas

Para enfrentar estas e outras dificuldades, os autores do estudo recomendam a adoção de três dezenas de medidas e que se baseiam sobretudo no reforço das medidas de fixação de pessoas, de incentivos à economia e do acesso à saúde.

Entre as propostas apresentadas estão o desenvolvimento de campanhas de promoção do registo dos nascimentos no concelho, a aposta na qualificação das pessoas e a valorização das profissões. Defende-se também o incentivo ao mercado de arrendamento e a melhoria da cobertura de internet no concelho.

O diagnóstico diz ainda que é preciso “desenvolver estratégias de marketing territorial para atrair novos residentes”, “implementar um sistema de acolhimento e acompanhamento permanente” de novos moradores e “promover medidas de interação e de integração com as comunidades e identidades”. “Implementar um sistema de transportes em articulação com os serviços do centro de saúde e com os serviços municipais”, é outra das soluções apontadas.

No campo social, o estudo considera ser necessário “desenvolver mecanismos de atração de recursos para a saúde e de reestruturação do serviço de urgências do Centro de Saúde”. Defende também a necessidade de ser criado um centro de recursos partilhados para a economia social e de serem revitalizadas e qualificadas as associações locais. É também preciso “fomentar a aproximação da economia empresarial às atividades da economia social” e “desenvolver medidas de apoio ao voluntariado qualificado”.

Na área da economia, o Diagnóstico Económico, Social e Prospetivo do concelho de Aguiar da Beira defende ser urgente “estimular o investimento e a iniciativa empresarial no concelho, através da criação de um sistema de benefícios” e “fomentar o investimento empresarial dos emigrantes no concelho”. É ainda indispensável incentivar autoemprego e a ocupação de terras abandonadas e a sua consequente rentabilização e sustentabilidade. Neste campo, a aposta na agricultura sustentável e/ou biológica é encarada como uma mais-valia, tal como em outros recursos do território e do turismo de natureza. As pequenas queijarias e outras unidades produtivas artesanais agroalimentares também precisam de ser revitalizadas.

Ideias que devem constar do Plano de Desenvolvimento para o concelho para os próximos três anos.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT