A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Projeto de agroturismo recupera casa secular de Mangualde

Edição de 31 de maio de 2019
01-06-2019
 

A casa senhorial, do século XVI localizada na aldeia de Almeidinha, às portas da cidade de Mangualde, é caracterizada pelos azulejos do século XVIII e pelos jardins.

O Solar de Almeidinha foi alvo de obras de recuperação, entre 2013 e 2018, mas sempre preservando a sua linha arquitetónica, quer do edifício principal, quer ao nível dos anexos do Solar. Uma iniciativa da família de Délia Falcão, oriunda da cidade do Porto, que decidiu comprar a casa solarenga em 2012, colocar “mãos à obra” e recuperar o edifício.

A inauguração aconteceu em 2015 e desde essa altura aquele espaço tem acolhido diversos eventos. A proprietária contou ao Jornal do Centro que foram alguns dos clientes que sugeriram a aposta no turismo de alojamento por considerarem que a casa e a quinta tinham todas as condições para acolher um projeto do género. O Solar está rodeado de dez hectares da Quinta do Espírito Santo com um olival, fontes de água e espaços de lazer e jardins de buxo. Para além destes, existem ainda os jardins de camélias com a Fonte Romântica e a Fonte de Cavalos. “Com toda esta oferta privilegiamos o contacto dos nossos hóspedes com a natureza”, explica a responsável dando como exemplo a apanha da azeitona. “Queremos um projeto diferenciado”, diz.

Délia Falcão conta que o Solar de Almeidinha estava “muito degradado” o que obrigou a uma intervenção profunda e de elevado valor. Sem querer adiantar o valor gasto, a proprietária diz que “excedeu” o valor que estava previsto. “Só quando se começou a mexer é que nos deparamos com as reais condições em que o imóvel estava. E como se trata de uma casa classificada exigiu uma intervenção de uma série de especialistas”, adianta.

O empreendimento turístico já está inscrito na Rede Nacional de Turismo e aguarda os primeiros hóspedes. Com um total de 13 quartos, o imóvel “é uma combinação perfeita entre a história e a tradição, entre a sofisticação e o conforto, oferecendo retiros de leitura e conversa a quem aprecia a arte de bem viver”, explica a proprietária.

Na biblioteca do edifício é possível encontrar milhares de livros antigos, que contam a história de Portugal e da região das Beiras, mas, também, documentos e outras publicações para o público estudar, ler e consultar.

Autarquia aplaude

A Câmara Municipal de Mangualde vê com bons olhos a criação de novos investimentos no concelho, independentemente da área de negócio. No caso da recuperação do Solar de Almeidinha, o presidente da autarquia, João Azevedo, congratula-se com o que considera ser um “importante investimento no turismo da região”. “É um espaço diferenciador e de excelência, que vem alargar e melhorar a oferta turística da nossa região”, refere.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT