A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Aventureiro de Nelas viaja pelo mundo para ajudar crianças

Edição de 21 de dezembro de 2018
21-12-2018
 

Rui Daniel Silva, 40 anos, é professor de piano, licenciado pela Universidade de Aveiro e decidiu aventurar-se numa longa “viagem solidária” de 23 mil quilómetros para juntar dinheiro que pretende doar à Fundação Maria Cristina, no Bangladesh, Índia.

Até ao momento, Rui Daniel já visitou 143 países, mas a ideia deste aventureiro da solidariedade descomprometida passa por cumprir um objetivo humano e vital para ajudar a melhorar a qualidade de vida das crianças que “só conheceram o abandono e o desconforto com que têm vivido, ou sofrido, num mundo desconcertante e absolutamente desequilibrado”.

A determinada altura da sua viagem decidiu que devia partilhar os motivos e as razões da sua missão. Para justificar tal decisão, acabou por criar uma página no “JustGiving”, uma plataforma onde se pode fazer donativos. O percurso que vai fazendo está na sua página de Facebook: “Backpacking with Rui Daniel”. Aqui dá a conhecer a causa em que se envolveu e a Fundação Maria Cristina, destinatária dos fundos que vai angariando nesta viagem de longo curso, recorrendo à boleia, de bicicleta, andar a pé, ou qualquer outro meio de transporte de circunstância.

Ao Jornal do Centro, Rui Daniel contou que “até ao momento” já angariou mais de 1000 euros e que a viagem começou em setembro de 2017, tendo cruzado todo o continente africano.

“Cheguei à Cidade do Cabo através da Costa Ocidental e subi até ao Cairo, no Egito através da Costa do Índico. Já me encontrava no Líbano quando tive de interromper esta etapa”, assinala. Agora fez uma pausa para passar o Natal em casa de sua mãe, em Nelas, passar mais alguns dias para recuperar energias e retomar o seu périplo com o objetivo de angariar mais fundos que têm como fim comprar “bens essenciais como alimentos, medicamentos e algumas roupas, para crianças, cujas idades, variam entre os 5 e os 13 anos e que são escravizadas em África”.

Riscos e viagens desgastantes

Rui Daniel reconhece que correu alguns riscos e que chegou a realizar duas viagens de bicicleta pelo continente africano. Uma desde o Senegal até à Guiné-Bissau e outra desde o Gana ao Benim. Na altura era para ter chegado à Nigéria mas acabou por ser preso no Gana. Nestas duas viagens ofereceu as bicicletas em que viajou a uma criança no final de cada viagem.

“Dormi por vezes ao relento. Dormi em estações de serviço e por vezes com algumas tribos. Cheguei aos Camarões através de um cargueiro desde a Nigéria”, relata.

Os povos mais simpáticos que diz ter conhecido foram os do Níger, Ruanda, Burundi, Sudão, Somália e Palestina.

Rui Daniel prossegue a sua “viagem solidária”, como lhe chama, em setembro de 2019 a partir do Irão até ao Bangladesh, onde decidiu concluir esta viagem para entregar a totalidade do dinheiro que angariar à Fundação Maria Cristina.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT