A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Oliveira de Frades: Bar de apoio custa metade de toda a praia fluvial de Carriça

Edição de 7 de setembro de 2018
10-09-2018
 

O projeto de construção do bar de apoio da futura praia fluvial da Carriça, em S. João da Serra, no concelho de Oliveira de Frades, está a ser ponderado pelo executivo municipal, uma vez que a valência vai custar metade de toda a reposição da zona de lazer.

Só a construção desta área de apoio aos banhistas está orçada em 265 mil euros, segundo o projeto definido inicialmente. Já a criação de toda a nova zona de fruição ribeira, que vem substituir a que ficou submersa pelas águas da Barragem de Ribeiradio, está avaliada em 558 mil euros.

“Como se pode querer fazer um bar que custa metade da obra global? Será um bar que terá uma utilização na ordem dos três a quatro meses ao ano e que vai ficar num espaço que pode dar azo a muita coisa quando não está em atividade (como atos de vandalismo)”, afirmou Carlos Pereira, vice-presidente da Câmara, em reunião do executivo.

Na opinião do autarca, o bar de apoio aos veraneantes está “desfasado da realidade”, sendo nesta altura a única obra referente às praias fluviais do concelho que se encontra por fechar. “Ainda não está a 100 por cento decidido, está em reflexão”, disse, sublinhando que é preciso ponderar bem se se justifica fazer aquele espaço independentemente do valor económico. “As coisas devem ser feitas com ponderação, com bom senso, de forma que no fim não tenha custos acrescidos, nem tenha descontentamentos da população”, concluiu.

Pessoas devem ser ouvidas

Face às expectativas criadas no seio da população, sobretudo junto dos habitantes de S. João da Serra, o vereador do PSD no município, Abel Dias, defendeu que os moradores da zona deveriam ser envolvidos neste processo, assim como “a Junta de Freguesia e as demais forças vivas, uma vez que a população perdeu uma valência que tinha”. Também o vereador social-democrata Paulo Antunes alertou para a necessidade de as entidades locais serem chamadas a pronunciar-se sobre a construção do bar, uma vez que havia uma expectativa relativamente a esta infraestrutura.

Com ou sem bar o que se sabe nesta altura é que a reposição das duas praias fluviais no concelho (Carriça e Sejães), que há anos é debatida e esperada pelas pessoas, vai ficar mais cara do que se pensava. Para fazer as duas áreas de lazer, a EDP, a dona da Barragem, estabeleceu um protocolo com o município no valor de 1,9 milhões de euros, sendo que o que está previsto atualmente ronda os 2 milhões e 465 mil euros.





  • 2002 - 2018 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT