A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Penalva do Castelo: novo lar residencial para 15 utentes

Edição de 12 de julho de 2019
13-07-2019
 

A pensar nos vários tipos de deficiência, a Associação Cultural, Social, Recreativa e Desportiva Os Melros, criou uma nova valência. Um lar residencial com capacidade para 15 utentes que custou mais de um milhão de euros. O novo serviço foi construído num edifício de raiz junto à ERPI (Estrutura Residencial para Pessoas Idosas) já existente desde 2009.

O protocolo de cooperação com a Segurança Social foi assinado esta semana e a partir de agora está preparado para acolher os primeiros utentes. Segundo a diretora técnica, Mariza Lopes, a instituição, “desde há algum tempo que tem inscrições feitas para a nova valência”. “Começámos a contactar as famílias para dar conta que já estamos operacionais e a qualquer momento recebemos as primeiras pessoas”, explica.

A responsável considera que cada vez mais as instituições devem estar preparadas para receber os vários tipos de deficiência. Na região existem diversos lares para idosos mas, para espaços para portadores de deficiência, a oferta ainda é escassa. Segundo Mariza Lopes são pessoas que carecem de cuidados diferenciados, que a Segurança Social deve também dar “particular atenção”. “Nós queremos andar na linha da frente e por isso avançámos com esta resposta social”, refere. Com o surgimento do lar residencial, Os Melros conseguiram criar novos postos de trabalho que podem chegar a uma dezena.

Para além da nova valência de lar residencial, a instituição que existe há 25 anos dispõe ainda dos serviços de apoio domiciliário, centro de dia, lar de idosos e centro de reabilitação física.

Aposta passa também por um CAO

A construção de um CAO (Centro de Atividades Ocupacionais) para pessoas com deficiência é o projeto que se segue para a Associação Cultural, Social, Recreativa e Desportiva Os Melros. O objetivo passa por concluir a valência no próximo ano. “O CAO é um projeto que queremos que seja um complemento ao lar residencial”, explica Mariza Lopes.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT