A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Provedor da Misericórdia de Penalva do Castelo cumpre último ano de mandato

Edição de 11 de janeiro de 2019
13-01-2019
 

O provedor da Misericórdia de Penalva do Castelo, Michael Batista, termina este ano o segundo mandato à frente da instituição centenária. O mandato termina no final de 2019 e para já não desvenda se avança com nova candidatura ao cargo. “Neste momento tudo está em aberto, apenas sei que tenho cumprido com o que me propus quando abracei o projeto”, realça o provedor, acrescentando que “tenho de pensar muito bem se avanço ou não, mas neste momento não há ainda uma decisão tomada para uma recandidatura”.

Desde 2013 que a requalificação das várias estruturas tem sido uma prioridade para Michael Batista, nomeadamente o lar, a Centro de noite, a creche, o Centro de actividades de tempos livres, assim como reforçar o apoio domiciliário, a modernização dos serviços e aumento do património.

O provedor da Santa Casa da Misericórdia de Penalva do Castelo refere que chegado ao sétimo ano de mandato, o processo de requalificação das valências está muito avançado com cerca de 500 mil euros investidos. Os postos de trabalho também aumentaram de cerca de 50 para 83 funcionários.

Lar para demências

Está em fase de conclusão de obra a Estrutura residencial para idosos (ERPI) portadores de demência. Uma estrutura que a Santa Casa da Misericórdia de Penalva do Castelo está a construir nas instalações do antigo hospital da vila e cuja conclusão está prevista para o próximo mês de março. Inicialmente o prazo de conclusão apontava o final de 2018 mas, como explicou o provedor, as condições climatéricas provocaram algum atraso nas obras. Depois das obras concluídas Michael Batista espera que a Segurança Social colabore com a instituição para que funcione da melhor maneira.

O responsável não tem dúvidas que a resposta social vai acolher rapidamente utentes, uma vez que no concelho penalvense existem várias pessoas com a patologia de demência, assim como na região. “Já algumas pessoas nos contactaram para pedir informações sobre vagas”, conta.

A Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) portadores de demência é um lar, com capacidade para 17 utentes, tem um orçamento que ronda um milhão de euros e contou com o apoio do Fundo Rainha D. Leonor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa em 300 mil euros. A autarquia penalvense também apoiou a construção da unidade com uma verba de 225 mil euros.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT