A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

S. Pedro do Sul: empresário processa PSD por dívida das autárquicas

Edição de 19 de abril de 2019
19-04-2019
 

O dono de uma empresa de S. Pedro do Sul que foi contratado pelo PSD nas autárquicas de 2017 avançou para a justiça para reclamar uma dívida que remonta ao tempo da campanha e que ronda os 10 mil euros.

O empresário instalou diversas estruturas onde foram colocados os outdoors da candidatura ao município encabeçada por Daniel Martins, mas como só recebeu uma parte do valor do serviço decidiu colocar o Partido Social Democrata em tribunal. A primeira audiência aconteceu em março. A próxima sessão está marcada para o dia 27 de maio.

“Como não pagaram o que deviam coloquei-os em tribunal”, afirma Luís Bordonhos, que se queixa de só ter recebido dois mil euros dos dez mil euros que estavam em dívida.

O empresário conta que faz trabalhos para o PSD há uns 16 anos, tendo prestado serviços em vários atos eleitorais. “Demoravam muito a pagar, meio ano, mas pagavam sempre. Desta vez já vai fazer dois anos e ninguém diz nada”, lamenta, acrescentando que avisou o candidato e atual presidente da concelhia social-democrata de que como não lhe davam o que era dele por direito via-se obrigado a recorrer à justiça. Segundo Luís Bordonhos, a primeira sessão do julgamento contou com a presença de elementos da direção nacional do PSD e dos seus advogados, que disseram que seria a comissão política de S. Pedro do Sul a assumir a dívida. Na próxima audiência, deverão marcar presença Daniel Martins e o antigo mandatário da candidatura laranja.

Para além de reclamar os pagamentos em atraso, o empresário exige na justiça juros compensatórios. Quer ainda que as custas judiciais sejam suportadas pelo PSD.

“Só há duas maneiras de isto se resolver”

Contactado pelo Jornal do Centro, Daniel Martins, antigo cabeça de lista do partido à Câmara e presidente da concelhia laranja, esclarece que a dívida é da direção nacional e não da concelhia do PSD, que está na posse das estruturas que foram usadas na campanha.

Para o dirigente, o empresário tem direito a receber o dinheiro que reclama pelo trabalho realizado. “Só há duas maneiras de isto se resolver ou antes de o processo chegar ao fim ou depois. Nesta parte do PSD nacional não me posso vincular porque não sei qual vai ser a reação deles, mas eles são pessoas de bem e quando tomarem a perceção que aquilo é uma dívida que deve ser paga, pagarão”, defende.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT