A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
 
        

S. Pedro do Sul: Munícipes querem entregar terrenos à Câmara para não os limpar

Edição de 11 de maio de 2018

13-05-2018
 

É um caso no mínimo insólito. Por causa da lei que obriga os proprietários a limpar os espaços florestais em redor de casas, aldeias e estradas, mais de uma dezena de pessoas manifestou vontade em entregar à Câmara Municipal de S. Pedro do Sul parcelas de terreno. As ofertas, em jeito de protesto, foram feitas durante sessões de esclarecimento promovidas em vários pontos do concelho sobre o cumprimento da legislação em matéria de limpeza de matos. “As pessoas têm as suas pequenas propriedades que com a lei em vigor são obrigadas a limpar e acabam por ficar com a área ainda mais reduzida e sobretudo sem árvores e os rendimentos que podiam tirar agora e para toda a vida”, refere Pedro Mouro, vice-presidente da Câmara Municipal, acrescentado que esta questão da limpeza é válida para “agora e também para o futuro”.

“As pessoas vão ter de continuar sempre a limpar, as propriedades ficam sem valor económico e para além disso ainda vão ter de gastar dinheiro para manter essas pequenas propriedades limpas”, alerta o também vereador com o pelouro das florestas no município sampedrense.

Perante esta situação, e “meio a brincar meio a sério”, vários proprietários quiserem entregar à autarquia pinhais e outros espaços florestais, até porque depois de maio são as câmaras que tem a responsabilidade de limpar e depois passarão a fatura para os donos dos terrenos. O município é que não está para aí virado. “É uma situação que não se coloca. Não faz sentido ficarmos com a gestão dos terrenos”, afirma Pedro Mouro.






  • 2002 - 2018 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT