A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Funicular de Viseu esteve parado

Edição de 9 de agosto de 2019
09-08-2019
 

Depois de estar mais de um mês parado, o funicular de Viseu parece ter o seu regresso garantido. Ainda não se sabe ao certo em que moldes e com que horários, nem em que data regressará, mas a empresa responsável pela sua operação e manutenção, a Berrelhas, promete que tudo está a ser feito para que Viseu volte a ter este meio de transporte disponível.

Herculano Caetano, diretor de serviços da Berrelhas, afirma que no âmbito da nova conceção está previsto o funicular ficar sobre a total responsabilidade do operador do MUV. “A Berrelhas, como vencedora do concurso, irá assumir a manutenção e operação do funicular no âmbito do novo contrato”, assume.

Segundo Herculano Caetano, este é um processo complexo que envolve três entidades, a Câmara Municipal de Viseu, a Liftech, que era a antiga responsável pela operação e manutenção do funicular, e a própria Berrelhas. “É um processo que está a decorrer mas que parece estar no bom caminho, queremos criar soluções e estamos a trabalhar para encontrar uma resposta nos próximos dias”, explica.

Fonte da Câmara Municipal de Viseu explicou que “o funicular encontrava-se parado por estar a ser executado o processo de transferência de concessão deste meio de transporte”.

Quanto aos trabalhadores, a autarquia diz que “uma vez que se está perante um serviço concessionado, a questão não pode ser colocada ao Município, mas sim às empresas, tanto à que deixa a concessão, como aquela que vai assumi-la”.

António Garrido, administrador da Liftech, esclarece “infelizmente a Liftech teve que rescindir os seus contratos de trabalhos, pagando-lhe evidentemente todos os direitos”.

Já o diretor de serviços da Berrelhas diz que “isso não é um problema, uma vez que temos interesse em contratar pessoas habilitadas e com experiência”.

“Na prática quem já estava a trabalhar no funicular e que tenha disponibilidade para continuar pode, eventualmente, continuar, mas cada caso é um caso. Há trabalhadores que têm um vínculo com a Liftech, mas do nosso lado estamos sempre disponíveis para analisar a possibilidade de as pessoas colaborarem connosco”, assegura o diretor da Berrelhas.

Para Herculano Caetano, “na antiga equipa do funicular há pessoas com formação e experiência, que se tiverem disponibilidade para conversar, teremos todo o interesse em contratá-las. A empresa está numa fase de crescimento por isso estamos sempre a procura de profissionais habilitados”, conclui o responsável.

Em declarações ao Jornal do Centro, um dos trabalhadores que não quis ser identificado e que pertence aos quadros da Liftech, afirma que ele e os seus colegas “teriam todo o interesse em manterem-se no funicular”.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT