Geral

24 de 05 de 2024, 11:42

Cultura

ACERT com oficina de circo, exposição sobre incêndios e peça sobre 25 de Abril

A ACERT recebe as três atividades este sábado. No dia 29 de maio, o público pode assistir a um espetáculo de circo musicado que junta artistas de várias nacionalidades

ACERT CR: ACERT Daniel Nunes

Fotógrafo: ACERT // Daniel Nunes

Arte circense, uma exposição fotográfica e uma peça de teatro sobre o legado do 25 de Abril. Na ACERT, o mês de maio continua repleto de espetáculos e oficinas.

Este sábado, três trabalhos diferentes são apresentados no espaço cultural e artístico de Tondela. Entre as 10h00 e as 18h00, é realizada uma oficina sobre as bases técnicas do circo, orientada pelo Instituto Nacional das Artes de Circo. A oficina conta com exercícios aéreos, de equilíbrio, manipulação de objetos e acrobacias. Os participantes desta oficina são convidados a praticar alguns exercícios introdutórios das artes circenses.

“O circo oferece um amplo desenvolvimento no que diz respeito à motricidade humana e podemos notar: maior atenção e foco, crescimento pessoal e social, saúde mental e emocional, sem mencionar o mergulho diferenciado dentro de uma atmosfera competitiva e divertida”, afirmou a ACERT.

No final da oficina de artes circenses, o público é convidado a assistir à inauguração da exposição “Das Labaredas, o Vento por entre as Carcaças”, de José Cruzio. Esta mostra foi criada a partir dos ensaios visuais e fotografias de zonas ardidas, com destaque para as zonas de Benagouro e Samardã, em Vila Real.

Esta exposição, como refere a ACERT, revela novas perspetivas e detalhes das paisagens exploradas por José Cruzio, “transformados em composições visuais que cruzam várias disciplinas artísticas”.

Às 21h45, o público pode ainda assistir à peça de teatro “25 de Abril: Divina Surpresa”, da companhia Trigo Limpo Teatro ACERT. Este espetáculo pretende celebrar os 50 anos do 25 de Abril assim como o centenário do nascimento de Eduardo Lourenço, professor e filósofo português. A peça serve-se das palavras do filósofo, expondo as suas ideias, assim como múltiplas perspetivas. “Os portugueses atreveram-se tanto quanto podiam, talvez, e esse atrevimento é aquele que ficará na história de nós”, são as palavras de Eduardo Lourenço que servem de mote para o espetáculo.

A fechar o mês, a ACERT recebe, no seu jardim, o “Circo Musicado”, um espetáculo com coprodução entre o Novo Ciclo ACERT, a Casa da Cultura de Santa Comba Dão e o Teatro Municipal da Guarda. O espetáculo resulta de uma residência artística do Instituto Nacional de Circo, reunindo oito artistas de circo oriundos de vários países. O público tem a oportunidade de assistir a performances circenses ao som da música ao vivo da cantora lírica Rita Álvaro e do pianista Tiago Rodrigues de Matos. Uma experiência única apresentada ao ar livre que une os diálogos corporais do circo com a música.