Geral

06 de 12 de 2023, 18:25

Diário

Tondela e Vouzela transformam antigas estações de comboios em museus

Autarquias vão avançar com projeto de recuperação do património ferroviário que passa pela requalificação de antigas estações. Objetivo é criar um novo produto turístico para a região de Viseu Dão Lafões

TONDA E MOÇAMEDES ESTAÇÕES COMBOIOS

As câmaras de Tondela e Vouzela vão avançar com um projeto de recuperação do património ferroviário dos dois concelhos. As autarquias vão requalificar as antigas estações de Vouzela, Moçâmedes e Tonda e transformá-las em museus no âmbito do projeto "Viajar no Tempo - Ferrovia entre o Vouga e o Dão", que conta com um investimento superior a 608 mil euros.

O objetivo das duas câmaras é criar “um novo produto turístico de valorização do património ferroviário e que ligará o Museu Nacional Ferroviário à região de Viseu Dão Lafões”, referem em comunicado.

A candidatura, aprovada pelo programa Transformar Turismo do Turismo de Portugal, prevê ainda o restauro de locomotivas em Vouzela e em Real das Donas e de outros equipamentos como a ponte ferroviária de Vouzela. A musealização dos espaços será feita com recurso a realidade aumentada, realidade virtual, recursos audiovisuais e postos interativos de simulação de condução ferroviária.

Segundo as câmaras de Vouzela e Tondela, o projeto prevê ainda a colocação de sinalética nos locais referidos e também nas antigas estações de Sabugosa, Parada de Gonta, Oliveira de Frades e São Vicente de Lafões, além da recolha de material iconográfico e testemunhos sobre a história da ferrovia na região. Também está em cima da mesa um plano de comunicação e promoção turística.

O presidente da Câmara de Vouzela, Rui Ladeira, fala de um projeto "diferenciador" que "diz muito às populações do ponto de vista afetivo". Segundo o autarca, esta é "uma oferta turística rica em história e em saberes, que vai permitir viajar no tempo a quem usufrui da ecopista, a quem nos visita e quem teve estas vivências".

Rui Ladeira adianta ainda que vai ser possível, por exemplo, simular a condução de um comboio e, através da realidade aumentada, ver as obras de arte que integram a antiga Linha do Vouga, que deu lugar à atual Ecopista do Vouga. “Serão ainda colocados painéis interativos e informativos a recuperar os espaços interiores e exteriores e que permitirão contar as vivências e a dinâmica de trabalho da atividade ferroviária de Vouzela e da região”, diz.

Já a presidente da Câmara de Tondela, Carla Antunes Borges, considera que este é “um projeto inovador que promete enriquecer a experiência turística da região e celebrar o rico património ferroviário que temos o privilégio de possuir, valorizando uma das principais atividades económicas da nossa região”.

“Esta candidatura reforça o compromisso que a Câmara de Tondela tem com a preservação do património cultural, destacando a importância de manter viva a memória de nossa história”, afirma. A autarca destaca ainda a criação de um centro interpretativo da Linha do Dão na estação de Tonda.

Os autarcas de Vouzela e Tondela esperam que o projeto diversifique a oferta turística dos dois concelhos e das regiões Viseu Dão Lafões e Centro através da ligação ao Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento.

O projeto vai ser posto em prática nos próximos dois anos e tem também como parceiros a Câmara de Oliveira de Frades, a Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões e o Turismo de Portugal.