A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
 
        

Casa da Música vai animar Termas de S. Pedro do Sul

S. Pedro do Sul, termas, Casa da Música, cultura
 

Vítor Figueiredo

Presidente da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul


 

Vítor Leal

Presidente da Termalistur


 

Paulo Sarmento e Cunha

Representante da Fundação Casa da Música


10-07-2018
 

As orquestras sinfónica e barroca da Casa da Música, do Porto, vão atuar nas Termas de S. Pedro do Sul. A organização nortenha assinou um acordo com a autarquia sampedrense para atuar para os termalistas que frequentam a estância local.

Os dois primeiros concertos do projeto Aqva Música, que conta com o alto patrocínio do Presidente da República, vão acontecer nos dias 7 e 8 de setembro. O presidente da Câmara, Vítor Figueiredo, sublinha que esta é a primeira vez que a Casa da Música sai da região portuense para uma atuação no interior.

O autarca afirma ainda que o Aqva Música visa democratizar o acesso à cultura em S. Pedro do Sul e por isso, fez questão de elogiar a iniciativa da Casa da Música e do chefe de Estado. “Restamos agradecer à Fundação Casa da Música e ao senhor Presidente da República que, por este meio da arte musical, nos vão proporcionar a concretização da ambição de democratizar o acesso à cultura e promover uma maior coesão social”, enfatiza Vítor Figueiredo.

Já o presidente da empresa Termalistur, que gere as Termas de S. Pedro do Sul, assegurou que a parceria vai manter-se nos próximos anos. Vítor Leal defende que a estância não deve ser apenas um espaço de saúde e bem-estar, mas também um local com uma oferta dinâmica e diversificada que, defende, possa alavancar o concelho e a região.

“Pensamos que, com esta parceria, trazendo este tipo de cultura ao interior do país e mais concretamente às Termas de S. Pedro do Sul, estamos a potenciar todo o turismo, toda a região de S. Pedro do Sul e toda a região Centro. Esperamos que este seja o início de uma parceria frutífera”, afirma.

Por sua vez, Paulo Sarmento e Cunha, representante da Fundação Casa da Música, prometeu um evento “digno da Rainha D. Amélia”, a padroeira das Termas, com concertos memoráveis. O dirigente considera que a Aqva Música vai trazer “um ambiente que, com certeza, não foi replicado” nos últimos anos no território.

Paulo Sarmento e Cunha diz ainda que o projeto representa uma missão crítica para a instituição do Porto. “Para a Casa da Música, é extraordinariamente importante conquistar estes territórios. Nós trabalhamos para as pessoas se enriquecerem, usufruírem e fruírem da vida com música que é muito mais fácil do que sem ela”, missão que, espera, possa fazer aquilo o que a entidade já proporcionou aos públicos da região do Porto.

“Queremos conquistar as pessoas para viver connosco no dia-a-dia a música e vai valer bem a pena fazer isso”, conclui.





  • 2002 - 2018 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT