A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

"Engolir Sapos" estreia em Viseu depois de dois anos de residência artística

Edição de 15 de março de 2019
15-03-2019
 

A Amarelo Silvestre, Associação Cultural de Canas de Senhorim, vai estrear o espetáculo ‘Engolir Sapos’ acerca de preconceitos e sapos de loiça, no Teatro Viriato, em Viseu, esta sexta-feira

A peça de teatro ‘Engolir Sapos’, que conta com quase dois anos de trabalho, esteve cerca de um ano em residências artísticas. Ao longo deste tempo passou pelas cidades de Ílhavo, Ovar, Lisboa, Montemor-o-Velho, Figueira da Foz e Canas de Senhorim, uma semana em cada espaço, e duas semanas em Viseu. Tempo que serviu, segundo Fernando Giestas, o encenador e dramaturgo, para contactar com as realidades das comunidades ciganas e dos diferentes contextos em cada território, bem como dos diálogos que há ou não.

Fernando Giestas esteve presente em todas as residências artísticas porque era um apoio fundamental experienciar e recolher testemunhos e imagens para escrever o texto. Assim, construiu uma ideia de diálogo entre pai e filha – o que é a apresentada em palco. “Temos como pano de fundo o material recolhido e trabalhado nas residências, no sentido de colocar na boca da filha um questionamento do mundo – como é que um pai pode contar e descodificar o mundo à filha, respeitando a sua individualidade que vai sendo construída na perspetiva de alguém que sai da infância e começa a entrar na fase da adolescência”, explica.

‘Engolir Sapos’ é uma reflexão artística sobre preconceitos e sapos de loiça, visto que existem, em Portugal, à volta de 60 mil pessoas de etnia cigana e milhares de sapos de loiça em estabelecimentos comerciais que servem para afastar as pessoas desta etnia.

“Estamos a falar de uma temática que é sensível nos dias que correm com a questão do politicamente correto, dos comentários muito dispostos a ter a sua verdade. É difícil trabalhar esta temática quando não é a preto e branco, não há um mau de um lado e o bom de outro. Há zonas muito cinzentas, há toda uma complexidade que é a da pessoa humana e, nesse sentido, as coisas têm de ter tempo para conseguirmos suportar criticamente”, elucida Fernando Giestas.

‘Engolir Sapos’ é uma criação da Amarelo Silvestre e co-produção com o Teatro Viriato, Centro de Arte de Ovar e Teatro Municipal do Porto. Estreia, no Teatro Viriato, esta sexta-feira (15 de março) às 21h30, onde irá estar também no sábado (16) e a 23 de março no Centro de Arte de Ovar.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT