A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Museus do centro histórico de Viseu unem-se para comemorar Dia Internacional

Museu Nacional Grão Vasco, Museu da Misericórdia de Viseu, Museu da Catedral, Dia Internacional dos Museus
 

Odete Paiva

Diretora do Museu Nacional Grão Vasco


 

Odete Paiva fala sobre os desafios que as obras resgatadas das reservas do MNGV oferecem ao museu e aos historiadores de arte


 

Fátima Eusébio

Diretora do Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu


 

Henrique Almeida

Diretor do Museu da Misericórdia


15-05-2019
 

Os três museus do Centro Histórico de Viseu – Museu da Misericórdia, Museu da Catedral e o Museu Nacional Grão Vasco (MNGV) – juntaram-se para celebrar o Dia Internacional e a Noite Europeia dos Museus, que acontece este sábado (18 de maio).

As novidades foram reveladas aos jornalistas esta quarta-feira (dia 15). No caso do Museu Nacional Grão Vasco, o destaque vai para a nova exposição no primeiro piso. Segundo a diretora Odete Paiva, a mostra vai expor obras maneiristas de pintura que pertenceram à capela de Santa Marta, no Paço Episcopal do Fontelo.

As pinturas em causa foram resgatadas das reservas do MNGV. A responsável justifica esta escolha com a preocupação em “criar novos focos de interesse dentro do museu”.

“Tem a ver com a forma como as coleções estão disponibilizadas e como olhamos para as reservas e vemos o que é que lá temos e que pode ser muito interessante para disponibilizar de forma permanente”, afirma a diretora.

Odete Paiva reconhece que estas obras vão colocar desafios, tanto ao museu como a historiadores de arte nacional. Para as mesmas obras, há vários autores associados. “Levantar essa questão de autoria e tê-la exposta em permanência é um desafio que queremos colocar ao Museu, mas também aos historiadores de arte nacional: olhar para a pintura e atribuir-lhe uma autoria, se isso for possível”, explicou.

Mas, tanto as novidades como os pretextos para visitar o Museu Nacional Grão Vasco este sábado não se ficam por aqui. Uma das salas foi renovada com pintura estrangeira do séc. XVII, que também estava nas reservas do espaço museológico e a coleção de pintura naturalista foi reformulada. Todas as visitas guiadas vão ser acompanhadas em Língua Gestual Portuguesa.

A entrada nos museus no sábado é gratuita. O objetivo é comum para os três espaços do Centro Histórico. “Pensamos sempre em alguma programação, mas todos nós queremos que os museus sejam visitados”, realçou Fátima Eusébio, diretora do Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu, que espera que o acesso gratuito provoque um aumento do público nos espaços, cujo horário irá prolongar-se até à noite.

Já o Museu da Misericórdia pensou em atividades para atrair o público mais jovem. O diretor, Henrique Almeida, destaca os jogos de tabuleiro gigantes nos adros da Sé e da Misericórdia.

“Estas partidas também pressupõem visitas ao Museu, onde os miúdos terão cartões que correspondem a peças de xadrez”, explica.

Além do horário alargado, a animação noturna nos museus da cidade vai estar a cargo do Conservatório Regional de Música Dr. José de Azeredo Perdigão, com “concertos improváveis” de flauta e violino.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT