05 dez
Viseu

Cultura

O autoritarismo e a autoridade sob o olhar de jovens atores

por Redação

24 de outubro de 2020, 07:00

Foto D.R.

CLIPS ÁUDIO

O Teatro Viriato estreia, este domingo (25 de outubro), o último projeto realizado pelo grupo de jovens atores do projeto K Cena, que já vai na sua oitava edição.

O livro "A Revolta dos Animais", de George Orwell (autor do "1984", onde se deu a conhecer o primeiro Big Brother que a sociedade ocidental iria conhecer), foi a base que serviu de inspiração para o vídeo-espetáculo criado e desenvolvido pelos cinco grupos que integram o projeto e que vêm de Viseu, Lisboa, Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

Um projeto que já vinha sido preparado e que teve de repensar com a pandemia da Covid-19, que encerrou os teatros e as salas de espetáculos e motivou a uma nova forma de trabalho cultural. Ainda assim, os grupos participantes resolveram "não deixar cair" a oitava edição do K Cena, que seguiu um novo rumo.

“Quando entrámos em confinamento, estávamos a terminar a primeira fase de trabalho. A primeira fase geralmente começa no final do ano (começou em dezembro de 2019) e vai até março, abril do ano seguinte, tendo como objetivo o desenvolvimento de um trabalho laboratorial. No fundo, era desenvolvemos o trabalho de improvisação e os exercícios ligados à obra literária escolhida. Em Viseu, estávamos à espera da Chica Carelli, encenadora do Brasil e eu à espera para ir para Cabo Verde. Isto caiu tudo”, explica o encenador em Viseu, Graeme Pulleyn.

Depois de várias discussões, os grupos optaram por fazer um videoespetáculo, dividindo os dez capítulos da obra pelos cinco grupos, que desenvolveram experiências online. "Começámos a trabalhar online, para ver o que conseguíamos fazer através do Zoom. Quisemos experimentar as possibilidades do Teatro Digital. Todos os países que participam decidiram que tínhamos de fazer algo, nem que fosse para marcar a passagem desta edição e determinámos fazer um vídeo", refere Graeme Pulleyn.

Em Viseu, o grupo dirigido por Graeme Pulleyn dedicou-se a dois capítulos do livro de George Orwell, criado como uma sátira à União Soviética de Estaline e ao "paraíso comunista" baseado na atual Rússia: “A Batalha da Vacaria” e “A Morte do Cavalo Trovão”.

Para o encenador, a escolha desta obra literária “altamente teatral” permite iniciar uma reflexão importante sobre o conceito de democracia e a relação que os jovens com o regime que Winston Churchill chamou como a "pior forma de governo, com a exceção de todas as demais", assim como "as tendências mundiais dos regimes autoritários".

"Este livro ("A Revolta dos Animais") permite-nos explorar temas como autoridade, revolução, resistência. Permite-nos perceber que a democracia não é um dado adquirido, é algo que temos sempre de defender", defende Graeme Pulleyn.

A obra usa animais para refletir no poder e nas fraquezas humanas. No livro, a revolta dos animais é liderada por dois porcos, Bola de Neve e Napoleão, que tentam construir uma sociedade utópica. Um sonho que acaba desmoronado com o Napoleão a instaurar uma ditadura com indícios de corrupção e a colocar fora do poder o Bola de Neve.

A estreia será no palco do Teatro Viriato às 18h00 de domingo, com entrada gratuita. De segunda a sexta-feira (26 a 30 de outubro), o vídeo será apresentado para várias escolas secundárias através do canal SubPalco no YouTube. O acesso é livre, mediante marcação para a bilheteira do Teatro.

O K Cena foi lançado em 2012, visando estimular o gosto pela escrita e pela interpretação teatral, valorizando a língua portuguesa e o reconhecimento da linguagem de Camões e do teatro como veículos para o desenvolvimento da identidade lusófona e de enriquecimento pessoal e interpessoal.

O projeto é desenvolvido pelo Teatro Viriato, em parceria com o Teatro Nacional D. Maria II, os polos cabo-verdiano e santomense do Instituto Camões e a companhia brasileira Teatro Vila Velha.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts