31 Mai
Viseu

Desporto

Tondela diz que jogar em casa é um “orgulho”

por Redação

20 de Maio de 2020, 15:43

Foto Arquivo Jornal do Centro

Presidente do clube e diretor-geral da SAD reagem à decisão da DGS

CLIPS ÁUDIO

O presidente do Tondela, Gilberto Coimbra, diz que a aprovação do Estádio João Cardoso para receber os jogos da Primeira Liga de futebol dignifica o clube.

O recinto foi aprovado pela Direção-Geral da Saúde para receber as partidas que faltam cumprir desta época. O Tondela ainda tem cinco jogos de visitado por fazer no campeonato.

Em declarações exclusivas ao Jornal do Centro, Gilberto Coimbra diz que o emblema beirão entendeu que tinha “todas as condições necessárias” para receber os jogos que faltavam em casa.

“Acho que estávamos à vontade, independentemente de termos de ser sujeitos a vistorias conforme fomos. Portanto, constata-se aquilo o que já tínhamos anunciado que o Tondela teria todas as condições e que não havia nenhuma situação que tal não pudesse acontecer”, afirma.

Gilberto Coimbra sublinha ainda que, para o Tondela, o fator casa representa apenas uma questão de orgulho “da nossa casa, da nossa organização que temos vindo a demonstrar há bastante tempo e do cuidado que temos para que tudo esteja sempre em pé para poder assegurar e responder mesmo a situações anómalas, como foi a Covid”. “Foi uma demonstração de bom trabalho”, conclui.

 

Diretor da SAD fala em "orgulho" para a região

Já o diretor-geral da SAD, Nicola Ventra, admite que a aprovação do Estádio João Cardoso “é um orgulho para toda a região”.

“O Tondela já é um orgulho de toda a região e ter um estádio que cumpre com as regras, é ainda maior. Queremos identificar-nos com toda a região do Centro e dar orgulho a todos e é bom poder jogar em casa”, diz o gestor, que revela ainda ter-se mostrado “otimista, mas não à espera” da decisão.

“Toda a estrutura está contente e de parabéns”, enfatiza acrescentando que o Tondela teve de trabalhar com o seu departamento médico para estabelecer as regras de segurança e higiene e cumprir com as normas “mais específicas” da Federação Portuguesa de Futebol. “Com este esforço em contrarrelógio, conseguimos atuar tudo na regra para podermos receber os jogos em casa”, destaca.

O Estádio João Cardoso vai receber os jogos do Tondela em casa, mas sem adeptos nas bancadas. “É importante que jogamos em casa. Os adeptos não podem ir ao estádio, mas esperamos que todos torçam por nós pela televisão. A alma do adepto que se junta connosco é uma mais-valia que nos ajuda”, afirma Nicola Ventra.

O diretor não tem ainda as contas apuradas ao detalhe, mas defende que os custos iam ser maiores se o Tondela tivesse de jogar fora de casa. “Seria um custo extra. Jogando em casa e à porta fechada, o prejuízo também é enorme. O custo de prevenção é altíssimo em máscaras e produtos de higienização. No merchandising, já temos custos acrescidos que não contávamos, mais a perda de receita", remata.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts