A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Viseu 2001 "ressuscitou" em dia de Páscoa e conseguiu a manutenção

21-04-2019
 

 

O Viseu 2001 lutou, esperou e conseguiu manter-se na Primeira Liga do Futsal. A equipa ganhou por 5-3 ao Belenenses, mas a certeza da permanência só chegou três minutos e trinta segundos depois do apito final no Pavilhão Cidade de Viseu, quando acabou o jogo que colocava frente a frente o Fundão e o Pinheirense, equipa que não podia pontuar e que acabou por perder.

Um “feito extraordinário” conseguido no dia em que o Viseu 2001 “ressuscitou”, como fez questão de frisar o treinador Paulo Fernandes no final da Partida.

“Custaram mais estes minutos depois do final do jogo do que propriamente a partida. Como disse aos meus jogadores, o nosso jogo nós conseguíamos controlar agora o que se passava no outro campo era difícil. Para o Viseu 2001 o dia foi mesmo bem escolhido porque tanta gente que falou que nós já estávamos acabados, ressuscitámos no Domingo de Páscoa”.

O técnico deixou palavras de agradecimento a todo o plantel, realçando que esta era a equipa “mais curta e mais barata” da Primeira Liga” e que soube estar ao lado dos melhores. “Isto quer dizer que estes rapazes merecem tudo e mais alguma coisa. E isto tem de ser enaltecido porque todos trabalharam nos limites para pôr bem alto o nome de Viseu”, salientou.

Para Paulo Fernandes, e em jeito de balanço, o seu futuro cabe agora à direção decidir. “Concerteza que o clube vai querer reforçar, ter as melhores armas e os melhores técnicos para que singre numa primeira divisão”.

E a próxima época continua a ser no escalão máximo do futsal, mas até lá agora é “tempo de descansar”. Galvão, um dos jogadores do plantel, no final do jogo, enalteceu a equipa que durante a época “foi de uma grande entrega”. “Tivemos momentos bons e maus momentos como qualquer equipa. Devido às lesões e aos castigos ficámos com um grupo reduzido. A próxima época logo se vê, temos agora três meses para descansar”, sustentou.

Já Paulo Almeida, presidente do Viseu 2001, falou de um “feito extraordinário” o que o clube fez até ao apito final, destacando também a “moldura humana” que esteve no Pavilhão.

“A partir de hoje vamos começar a trabalhar, planear aquilo que será o futuro. O Viseu 2001 continuará a trilhar o sucesso que nós ambicionamos. Vamos ver se conseguimos reforçar as condições que tivemos até aqui. Sabemos que financeiramente existem outras estruturas que o Viseu 2001 não consegue ter mas esta equipa tem vantagens que outras estruturas não têm”, reforçou.

Sobre a continuidade de Paulo Fernandes à frente do plantel, frisou que gostava que “o mister tivesse menos dor de cabeça” e que “se sentiria mais descansada se tivesse outra capacidade financeira por trás”.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT