05 dez
Viseu

Saúde

Filas para a vacina da gripe. ACES Dão Lafões pede para ser feita marcação

por Redação

20 de outubro de 2020, 13:23

Foto Igor Ferreira

CLIPS ÁUDIO

A administração do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Dão Lafões apela às pessoas para que aguardem pela sua vez e sejam contactados pelas unidades de saúde familiar para se vacinarem, para evitarem as filas que já se fizeram aquando da entrega da vacina contra a gripe no edifício da Segurança Social de Viseu, onde está situado o Centro de Saúde Viseu 1.

A segunda fase da campanha arrancou na segunda-feira (19 de outubro). Em comunicado, a ACES Dão Lafões garante que, pela elevada afluência aos centros de saúde, será privilegiado o atendimento programado.

Em alternativa, a ACES também sugere que os utentes contactem a sua unidade de saúde familiar por telefone ou e-mail para procederem ao agendamento da sua vacinação.

A instituição de saúde frisa que, para os utentes do Centro de Saúde Viseu 1, o ACES Dão Lafões criou “uma área dedicada exclusivamente à vacinação dos utentes incluídos na segunda fase”, isto é, utentes com idade igual ou superior a 65 anos e doentes crónicos.

A zona está a funcionar das 9h00 às 13h00 e entre as 14h00 e as 18h00 no piso -1 do Edifício da Segurança Social. O acesso far-se-á pelo exterior do prédio, estando devidamente sinalizado o circuito.

O ACES Dão Lafões tem disponíveis mais de 50 mil doses de vacinas contra a gripe. A primeira fase começou no final de setembro, para grávidas, idosos nos lares e profissionais de saúde.

Em todo o distrito, pelo menos os concelhos de Sátão, São João da Pesqueira, Oliveira de Frades, Mortágua, Mangualde e Vouzela aderiram aos programas de vacinação contra a gripe, através das farmácias e das unidades móveis de saúde.

O protocolo nacional assinado entre o Governo e as associações de farmácias prevê que estes estabelecimentos, nos concelhos aderentes, vacinem um total de 150 mil utentes com 65 ou mais anos, exatamente nas mesmas condições em que essa vacinação é feita nos centros de saúde, unidades locais de saúde ou unidades de saúde familiar.

O preço convencionado entre o Ministério da Saúde e as associações de farmácias para a administração da vacina é de 2,5 euros. É esse o valor que vai ser suportado pelas autarquias. A administração de vacinas nas farmácias comunitárias só pode ser feita por "enfermeiros e farmacêuticos com a competência em Administração de Vacinas e Medicamentos Injetáveis".

As farmácias estão com cerca de 150 mil vacinas que fazem parte do stock dos 2 milhões do Sistema Nacional de Saúde.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts