01 out
Viseu

Tondela

Coronavírus: ALS abre em Tondela laboratório único no país de fabrico de testes

por Redação

31 de julho de 2020, 15:58

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

A ALS Controlvet inaugurou esta sexta-feira (31 de julho), em Tondela, um laboratório único no país que produzirá, “no mínimo, oito mil ‘kits’ por dia” para realização de testes, num investimento superior a um milhão que dará autonomia a Portugal e ainda permitirá exportar.

“Vamos produzir os componentes dos ‘kits’ de deteção do coronavírus, vamos montar os ‘kits’ de proteção e também realizaremos a testagem, portanto, temos o ciclo completo e, na Europa, existem apenas duas empresas e nós somos a terceira”, anunciou o diretor-geral da ALS Controlvet.

“Não voltaremos a ter os problemas do passado, de escassez ou de falta de produto, em que temos de comprar a preços muito elevados […]. Com um turno, no pior cenário, mais conservador e de menor eficiência, em oito horas produzimos oito mil testes”, afirmou João Cotta.

No caso de haver necessidade, acrescentou, “multiplicam-se para três turnos, o que dá uma capacidade diária de 24 mil testes” e, tratando-se de um laboratório pertencente a uma multinacional “que está em 70 países, obviamente há um mercado de exportação automático”.

“Da mesma forma que durante a pandemia ficámos mais limitados, porque as grandes empresas desviaram para países mais poderosos os componentes, nós iremos fazer ao contrário. Iremos reter em Portugal o que Portugal precisar e o resto exportaremos”, afirmou.

Os primeiros ‘kits’ começam a ser produzidos “na segunda metade de agosto”, disse João Cotta, explicando que, depois de ultrapassadas as várias etapas de licenciamentos, “e correndo bem, o objetivo é estar em condições de introduzir no mercado em outubro”. O investimento é superior a um milhão de euros, com uma comparticipação de fundos europeus em 95%, “porque foi um projeto que se concretizou em dois meses”, explicou.
 

.

Governo realça investimento
Presente na inauguração, a ministra da Coesão Territorial destacou que a importância do laboratório para “dar autonomia ao país e exportar” para o mundo, em especial a Europa.

“Vai ajudar a região, o país e o mundo, porque estamos a falar de um investimento de ponta, que usa conhecimento e tecnologia que poucas empresas no mundo usam. Um investimento que permite ao país ser autossuficiente e que permite exportar esta tecnologia e estes ‘kits’ para todos os países”, defendeu Ana Abrunhosa.

O uso de fundos europeus neste projeto, acrescentou, traduz a estratégia europeia de garantir que o continente “está menos dependente do resto do mundo em bens e serviços que são essenciais”, numa área tão particular como a saúde.

Ana Abrunhosa lembrou que durante a pandemia o país sentiu a “escassez de máscaras e a escassez de álcool gel e de ‘kits’”, admitindo que aquilo que se conseguiu comprar foi adquirido “muitas vezes a um preço perfeitamente escandaloso, porque foram as condições do mercado”.

“Não tínhamos outra alternativa e esta autonomia permite-nos não só ter esses bens e serviços essenciais, a preços acessíveis, mas também nos permite exportar estes bens e criar riqueza a partir destas atividades económicas”, defendeu.

A ministra considerou o investimento desta empresa de Tondela, que desde 2015 faz parte da multinacional ALS, “um exemplo a seguir por outras empresas, nomeadamente do interior”, e “um exemplo de coragem”.

“Estamos num território que muitas pessoas considerariam improvável e é este exemplo que temos de levar para o país, para o mundo, e não há impossíveis”, defendeu, sublinhando que “é possível ter no interior uma atividade económica baseada em conhecimento, em inovação”.

Ana Abrunhosa aproveitou ainda a presença de vários responsáveis da região para os desafiar “a investir nas zonas industriais já existentes, dotando-as de infraestruturas, porque hoje as empresas para poderem trabalhar nestes territórios não o fazem sem banda larga, não o fazem sem uma eletricidade de qualidade”.

.

Queixas 
Também presente na cerimónia de inauguração do laboratório, o presidente da Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões enalteceu este investimento da ALS e agradeceu a ajuda que a empresa deu à região quando passou a fazer os testes de despiste à covid-19, a título gratuito, para o Centro Hospitalar Tondela Viseu. 

Rogério Abrantes aproveitou ainda a oportunidade para criticar a forma como foram concedidos os apoios às empresas que concorreram aos fundos do programa Compete, apoios que estavam disponíveis para novos investimentos relacionados com o combate ao coronavírus. 
 
“Pena que em alguns casos, como foi com das candidaturas do Compete, as coisas não tenham corrido da melhor maneira, mas com certeza que estaremos a tempo de resolver essa situação. Não podemos, nem devemos [permitir] que os dinheiros públicos sejam distribuídos por ordem de chegada e não por capacidades. Isso aconteceu e não pode voltar a acontecer. Temos que estar cientes de que as capacidades das empresas têm que estar em vista com o investimento que tem que ser feito”, defendeu. 

Na resposta o presidente do IPAMEI - Agência para a Competitividade e Inovação, Nuno Mangas, reconheceu algumas falhas no Compete, mas salientou que havia urgência na atribuição das ajudas a novos projetos empresariais no âmbito da covid. 

“Pode não ter sido totalmente conseguido como o senhor presidente dizia, pode ter criado algumas dificuldades, mas o que é facto é que quem deu corda aos sapatos rapidamente, quem teve capacidade de apresentar rapidamente projetos, teve esses projetos aprovados”, disse, acrescentando que o investimento da ALS foi aprovado em dois meses (em maio), depois de ter passado pelo crivo do Compete e de outros organismos como o Infarmed. 

“Felizmente que a situação pandémica acabou por se controlar, mas podia não ter sido assim, poderíamos ter tido uma situação mais alargada no tempo. Não sabemos como é que vai ser daqui para a frente e portanto havia aqui uma sensação de urgência e uma importância destes projetos serem implementados rapidamente”, concluiu. 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts