A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

A vingança do antigo vice-presidente da Câmara de Mangualde

Edição de 20 de setembro de 2019
20-09-2019
 

Desde 2009 que o PSD não lidera no concelho de Mangualde, altura em que António Soares Marques foi derrotado pelo socialista João Azevedo. Nos atos eleitorais seguintes (2013 e 2017) os social-democratas não conseguiram impor-se perdendo mesmo um vereador nas últimas eleições autárquicas.

Com a impossibilidade de recandidatura de João Azevedo, por limitação de mandatos, o PSD quer voltar a conquistar o eleitorado mangualdense e liderar o executivo camarário. Há alguns meses o nome de António Silva, antigo vice-presidente no mandato de Soares Marques, surgiu como possível cabeça de lista, mas acabou por cair por terra. Agora, em cima da mesa, estará Joaquim Patrício, antigo vice-presidente, por dois mandatos, de João Azevedo.

Neste terceiro mandato do PS na autarquia de Mangualde foi excluído da lista, sendo substituído por Elísio Oliveira, atual presidente em substituição por João Azevedo ser o cabeça de lista do PS às legislativas de outubro. Uma decisão que, na altura, não terá agradado a Joaquim Patrício. Fonte próxima do antigo autarca diz que ele “nunca conseguiu fazer o luto”.

O Jornal do Centro sabe que o antigo número dois da autarquia mangualdense se desfiliou do Partido Socialista há cerca de duas semanas. A escolha de Joaquim Patrício como cabeça de lista não foi desmentida nem confirmada, pela Comissão Política Concelhia de Mangualde do PSD. O presidente, Luís Amaral, referiu que “ainda é cedo para se lançar nomes” e que só depois das eleições legislativas vai ser conhecido o candidato do PSD.

Ainda assim, depois de questionado se o facto de Joaquim Patrício ter estado ligado ao PS não poderá ser um entrave para a escolha dos mangualdenses, foi dizendo que essa situação não será “um argumento”, acrescentando que o PSD está “aberto a todas as opções”. Luís Amaral dá o exemplo do executivo atual que conta com vereadores que, no passado, representaram outras forças partidárias como João Lopes, que foi do PSD.

O Jornal do Centro ouviu Joaquim Patrício, que também não confirmou a abordagem do PSD. Ainda assim, mostrou-se disponível para abordar a questão das autárquicas depois das eleições para o Parlamento agendadas para o dia 6 de outubro e confirmou que já não tem ligações ao PS.

Em entrevista ao Jornal do Centro, João Azevedo elogiou o antigo socialista. “Tenho um grande respeito pelo eng. Joaquim Patrício que é um homem com muitas qualidades. Teve um papel de grande excelência comigo”, refere, acrescentando que o antigo número dois da autarquia de Mangualde “é um homem livre” para optar ser candidato do PSD.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT