A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Almeida Henriques preocupado com investimentos ferroviários

Almeida Henriques, Governo, ferrovia, investimentos
11-02-2019
 

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, mostrou-se esta segunda-feira (11 de fevereiro) preocupado com as notícias sobre a execução do plano de investimentos ferroviários, considerando que, “pelo andar da carruagem, fica tudo como está”.

O autarca social-democrata disse que já previa “a fraca execução do plano de investimentos ferroviários” e lembrou que, nos últimos dois anos, fez várias perguntas ao Governo, não tendo recebido “uma resposta clara e inequívoca”.

Segundo Almeida Henriques, “o Governo deixou cair a ligação Cacia-Viseu-Mangualde, tentando dar com a outra mão a modernização integral da Linha da Beira Alta”, uma estratégia que vários autarcas da região aplaudiram.

“Constata-se agora que foram enganados. Que fomos enganados”, lamentou.

O autarca recordou que se promoveram “algumas sessões mediáticas e viagens ministeriais no troço Luso-Mortágua, mas os milhões que na altura foram anunciados para a requalificação da Linha da Beira Alta não tiveram ainda aplicação prática”.

Na sua opinião, as notícias das últimas semanas são um confronto com a “dura realidade”, porque “só 9 por cento do Ferrovia 2020 terá chegado ao terreno” e, “dos 20 projetos apresentados pelo ministro Pedro Marques, apenas seis estão em obra e oito já deveriam estar concluídos”.

Por isso, reiterou: “A falta de investimento na ferrovia hipoteca por muitos anos a modernização do nosso território e da nossa economia” e “este é um erro político que o país pagará muito caro”.

Para o antigo secretário de Estado adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional, “o abandono do projeto de uma rede ferroviária nacional e o desperdício de fundos comunitários serão o crime capital” desta legislatura.

“Este é também o tempo de voltar a confrontar o ministro Pedro Marques, agora que parece estar de saída do Governo para ser candidato ao Parlamento Europeu, com novas questões, depois de o próprio ter afirmado publicamente, em outubro de 2017, que até 2021 seriam investidos mais de 600 milhões de euros na modernização da Linha da Beira Alta”, considerou.

Neste âmbito, Almeida Henriques questionou se “está lançado o concurso para o projeto de modernização da Linha da Beira Alta” e, em caso afirmativo, “para quando o lançamento da obra”.

“Caso não seja possível concretizar o investimento na Linha da Beira Alta, os fundos comunitários previstos para esse projeto serão canalizados para onde?”, perguntou ainda.

O presidente da Câmara de Viseu disse suspeitar que, futuramente, o sucessor do ministro Pedro Marques dirá “que, como não vai ser possível concretizar o investimento na Linha da Beira Alta, os fundos comunitários serão desviados para os metros de Lisboa e Porto e para a linha de Cascais”.

“E, desta forma, fica mais uma vez provado que é muito bonito falar e dizer que se está preocupado com o interior, mas na prática é o que se vê”, acrescentou.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT