A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Alterações nos horários do MUV adiadas por causa da Páscoa

 

Almeida Henriques

Presidente da Câmara de Viseu


 

João Paulo Gouveia

Vereador da Câmara de Viseu


 

Almeida Henriques fala sobre a nova medida que abrange os habitantes do concelho que não são servidos pelo MUV


18-04-2019
 

Os novos horários dos autocarros do MUV, em Viseu, vão, afinal, entrar em vigor só na próxima segunda-feira (22 de abril). A notícia foi revelada à margem da reunião da Câmara, que decorreu esta quinta-feira (dia 18).

O presidente da autarquia, Almeida Henriques, explicou aos jornalistas porque é que os novos horários vão ser aplicados depois da Páscoa. As novas alterações deviam ter entrado em funcionamento na passada segunda-feira (dia 14) mas, segundo a avaliação feita pelo executivo, foram adiadas por se tratar de “uma semana um bocado atípica”. Segundo o presidente, “não faria sentido pôr estas alterações numa semana em que tem quatro dias de serviços mínimos: Sexta-Feira Santa, sábado, domingo e segunda-feira”.

“Assim dá-se mais tempo para as pessoas tomarem contato com os horários, que já foram distribuídos às escolas e juntas de freguesia e divulgados nas redes sociais”, explica Almeida Henriques.

Já o vereador do município com o pelouro da mobilidade, João Paulo Gouveia, garante que os novos horários incluem apenas alterações pontuais, que respondem aos pedidos dos passageiros.

“São situações que têm a ver com os horários escolares e estão relacionadas com o início e o fim das linhas e com uma ou outra paragem. Até tentámos incluir algumas paragens que não existiam no passado”, na sequência de uma discussão alargada com presidentes de juntas de freguesia, dirigentes dos agrupamentos escolares e a empresa concessionária Berrelhas.

Almeida Henriques anunciou também que, brevemente, os habitantes de Viseu que não são servidos pelo MUV vão passar a ter acesso às linhas urbanas C1 e C2, a título gratuito, “mesmo que o operador não seja o MUV e seja outro qualquer, como acontece em Santos Evos e Povolide”.

“Não precisam de ter um bilhete do MUV para que isso possa acontecer, mas há uma componente burocrática que é preciso tratar e que é as pessoas trazerem prova de que residem no concelho de Viseu e municiarem-se de um passe que, neste caso, será gratuito para circular. Isso pode ser feito junto dos serviços da concessionária”, detalha.

O presidente da Câmara garantiu que todos os cidadãos do concelho “vão ser tratados em pé de igualdade” nos transportes, quer estejam servidos ou não pelo MUV.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT