A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

CIM Viseu Dão Lafões avança com concurso de empreitada da Ecopista do Vouga

 

Vítor Figueiredo

Presidente da Câmara de S. Pedro do Sul


 

Paulo Ferreira

Presidente da Câmara de Oliveira de Frades


 

Almeida Henriques

Presidente da Câmara de Viseu


13-08-2019
 

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões anunciou que já procedeu ao lançamento de um novo concurso de empreitada para a construção da Ecopista do Vouga.

Este projeto terá uma extensão de 55 quilómetros, ligando os concelhos de Viseu, Vouzela, S. Pedro do Sul e de Oliveira de Frades. Segundo a CIM refere em comunicado, a obra está orçada em mais de três milhões de euros.

O percurso ficará ligado à Ecopista do Dão. O secretário executivo da comunidade, Nuno Martinho, refere no comunicado que a região “passará a ter um corredor verde, direcionado para o turismo de natureza, com mais de uma centena de quilómetros, com extremo valor paisagístico, turístico e ambiental”.

A CIM Viseu Dão Lafões encara este projeto como mais uma forma de atrair pessoas ao território, pelo que, acrescenta Nuno Martinho, “não poderá ser visto de forma dissociada dos projetos de implementação de sinalização turística nos percursos pedestres, de trail ou de BTT”.

“Esta ação vem reforçar a estratégia de Turismo de Natureza que a CIM está a implementar no território, através da criação de um produto compósito de turismo de natureza que associa percursos pedestres com as grandes e pequenas rotas, as Ecopistas, as subidas épicas e os centros de BTT e Trail”, sublinha o secretário executivo, que fala de uma oportunidade para a promoção do turismo de natureza.

Ecopista vai ser construída com pó de pedra

Ao contrário da Ecopista do Dão, o piso não vai ser de alcatrão, como explica o presidente da Câmara de S. Pedro do Sul, Vítor Figueiredo.

“É um piso em tuvenan (pó de pedra). No entanto, vai ter uma série de elementos construtivos, nomeadamente a nível de mobiliário urbano, equipamentos e elaborações. Vai ter uma rede de drenagem de águas pluviais, para que não haja a possibilidade de o piso ficar estragado. Tem ainda passadiços em madeira e pontes”, explica.

Cada município paga a sua parte da obra em função dos quilómetros e o que vai desembolsar mais dinheiro é o de Oliveira de Frades, que é atravessado por 27 quilómetros do trilho. O presidente da Câmara local, Paulo Ferreira, acredita que o projeto vai atrair mais turistas à região.

“Uma forma de fazer chegar pessoas ao território é através de projetos diferenciadores, e este é mais um de grande vulto para a CIM. Maior parte da extensão do nosso concelho vai abordar quatro freguesias distintas, o que já é congregador para a circulação de pessoas entre si”, sublinha o autarca.

Já o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, salientou a importância da Ecopista do Vouga na ligação à Ecopista do Dão e também a dois outros projetos de ecopista dinamizados pelas CIMs de Aveiro e Coimbra, “o que nós podemos ambicionar a muito curto prazo ligar a Aguieira ao litoral, mas no futuro podemos ligar a costa nos dois lados, o que permite ser a maior ecopista do país”. “É a prova de que a união faz a força”, remata.

A obra deverá esta concluída no final de 2021.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT