26 fev
Viseu

Região

GNR já está "de olho" na floresta. Em 2020, detetou mais de 2 mil incumprimentos

por Redação

23 de fevereiro de 2021, 13:02

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

A campanha Floresta Segura 2021 da GNR arrancou segunda-feira (22 de fevereiro) no terreno. O objetivo da força policial passa por prevenir comportamentos de risco, garantir a segurança das populações e salvaguardar a floresta.

Os proprietários têm até 15 de março para limparem os terrenos. Depois deste prazo, quem não cumprir as regras pode ser multado.

As multas podem chegar dos 280 aos 10.000 euros para os proprietários singulares e dos 3.000 aos 120.000 euros para as pessoas coletivas.

Segundo recorda o capitão Davide Ferreira, das relações públicas da GNR, a campanha Floresta Segura está agora na fase de “monitorização e sensibilização, para alertar as pessoas dos comportamentos de risco e da adoção de medidas de segurança como a limpeza de matos à volta das habitações, prevenindo os incêndios florestais e, a acontecer, minimizando os seus danos”.

Tal fase decorrerá até 31 de março e abrangerá autarquias, agricultores, caçadores e produtores florestais, entre outros. Depois, segue-se a fiscalização.

Em 2020, a GNR de Viseu detetou cerca de 2.400 situações de incumprimento. Destes casos, apenas 361 não foram resolvidos pelos proprietários que não limparam os terrenos e que, por isso, foram multados.

“Foram ainda detidas 13 pessoas e identificadas 45 por crimes de incêndio florestal que ocorreram no distrito”, acrescenta Davide Ferreira, sublinhando que as queimas e queimadas foram responsáveis por 23 por cento dos incêndios na região de Viseu durante o ano passado.

A nível nacional, a GNR sinalizou numa primeira fase mais de 24 mil situações de incumprimento da gestão de combustível, sendo que 14 mil foram registadas em freguesias prioritárias.

Numa segunda fase, por se encontrarem ainda situações de incumprimento, a GNR elaborou 6.257 autos de contraordenação.

No que diz respeito aos incêndios rurais, a GNR registou 4.892 crimes de incêndio florestal, tendo resultado na detenção de 51 pessoas e na identificação de outras 379, realçando que cerca de 23% das ocorrências tiveram origem na realização de queimas e queimadas.

No ano passado, a GNR, em coordenação com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), realizou 4.179 ações de sensibilização, que alertaram presencialmente cerca de 60 mil pessoas para a importância dos procedimentos preventivos a adotar.

Em 2020 foram realizadas cerca de 53.500 patrulhas, que percorreram mais de 3,5 milhões de quilómetros.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts