11 Ago
Viseu

Região

Linha da Beira Alta retoma ligações do Intercidades "em breve", garante ministra

por Redação

03 de Junho de 2020, 14:10

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

A ministra da Coesão Territorial assegurou que a Linha de Beira Alta vai voltar a funcionar em pleno “muito em breve”. A garantia foi dada após a notícia de que a CP suprimiu três ligações do comboio intercidades na linha que passa por vários concelhos do distrito de Viseu.

À margem de uma visita feita na capital da região, Ana Abrunhosa disse que contactou o Ministério das Infraestruturas e Habitação e que “o que nos foi garantido é que durante uma fase transitória esse serviço foi suspenso e será retomado”.

“Tenho a garantia que é uma situação transitória e estaremos muito atentos a isso. Será reposto muito em breve. Isto foi uma situação excecional que não foi só no interior”, referiu a governante. A mesma garantia também tem a CP, que vai repor então as ligações.

Antes destas últimas declarações, já os autarcas de Mangualde e Nelas tinham-se mostrado contra a decisão da CP de suprimir três ligações do comboio intercidades da Linha da Beira Alta. Em declarações ao Jornal do Centro, o presidente da Câmara de Mangualde, Elísio Oliveira, dizia esperar que esta suspensão não seja definitiva.

“Só podemos vê-la como transitória. A informação que temos é de que, em consequência do confinamento e da Covid-19, a CP teve a necessidade de ajustar por falta de procura. À medida que a Covid ia passando, a procura aumentará e as linhas serão repostas. Não abdicamos da defesa da reposição das linhas e das soluções de mobilidade, que são dos melhores e mais expressivos atos de coesão territorial”, afirmou.

O autarca sublinhou ainda que Mangualde tem uma estação ferroviária “de referência histórica” e que a mesma constitui como “expressão maior de valor do nosso território”.

Já o homólogo de Nelas, Borges da Silva, também considerou que a supressão é um desrespeito pelo interior. “É muito prejudicial para a região, porque se vê que a prática está em contradição com o discurso de valorização do interior que tem sido adotado oficialmente”, lamentou.

“Quando se fala na mobilidade do país e em aumentá-la do litoral para o interior, a direção que se quer é para uma mobilidade, sobretudo suave e não poluidora, como a linha de caminho de ferro e a Linha da Beira Alta. Se esta é uma suspensão ou supressão, ninguém sabe bem porque acho que ninguém foi informado”, acrescentou.

A decisão da CP entrou em vigor na passada segunda-feira (1 de junho).

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts