03 mar
Viseu

Região

Covid-19: Vacinação na Unidade de Cuidados Continuados de Mangualde já começou

por Redação

05 de janeiro de 2021, 11:00

Foto Igor Ferreira

Provedor da instituição fala em "dia de esperança". Presidente da Câmara fala em "dia histórico". Diretor do ACES Dão Lafões avança que primeira fase de vacinação pode durar até três meses

CLIPS ÁUDIO

A campanha de vacinação contra a Covid-19 arrancou esta terça-feira (5 de janeiro) em Mangualde. A primeira valência a receber as doses da vacina foi a Unidade de Cuidados Continuados (UCC) da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde, onde estão ativos dois surtos. Tanto utentes como funcionários foram imunizados, num total de 86 pessoas, entre 40 utentes e 46 colaboradores.

A vacinação nas instituições sociais arrancou em Mangualde por causa do risco de infeção no concelho, que está no patamar extremo - o mais alto de contágio. 

Para o provedor da instituição, esta terça-feira é "um dia de esperança".

"Hoje é um dia importante. É um dia de esperança para a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde, mas também para a nossa comunidade, para o país e para o mundo. Estamos a vacinar contra uma doença terrível que nos veio, a todos, mudar a vida", começou por dizer José Tomás. 

O responsável da Santa Casa acredita que este dia seja o "virar de página" e que a vacina "vá permitir, a curto prazo, o regresso à normalidade".

Daqui a 21 dias, decorre a segunda toma da vacina. 

Na quarta-feira (dia 6), a campanha de vacinação continua no Lar Morgado do Cruzeiro, onde vão chegar mais 50 vacinas. 

Ao longo da semana são também vacinados utentes e funcionários de outros lares do concelho, como é o caso do Lar da Freixiosa, o Lar de Santiago de Cassurrães e o Lar Padre António Lobinho.

 

Primeira fase de vacinação no ACES Dão Lafões pode durar até três meses

"[A campanha de vacinação] É um processo que se vai desenrolar durante a semana e em que vamos cobrir a totalidade dos lares, com a exceção de duas unidades", começou por explicar o diretor do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Dão Lafões.

António Cabrita Grade lembrou que "a grande contraindicação" para a vacinação é "estar perante um utente positivo à Covid-19, em fase de doença aguda". Situação que se vive em duas instituições da Santa Casa da Misericórdia de Mangualde - no Lar Nossa Senhora do Amparo e na Residência Sénior Senhora do Castelo -, onde há surtos ativos.

"Estas instituições não vão ficar sem a vacinação, mas terão que aguardar que o surto ativo seja resolvido. Numa nova oportunidade serão alvo da vacinação, quer os utentes, quer os profissionais", sublinhou o clínico.

Segundo António Cabrita Grade este "é um processo em que a primeira fase vai durar entre dois a três meses". Além das instituições, a vacinação dos profissionais da área saúde vai continuar "de uma forma gradual e programada".

 

Presidente da Câmara de Mangualde fala em "dia histórico"

O concelho de Mangualde foi o primeiro a receber a vacinação de utentes e funcionários de instituições sociais do distrito. ​Por isso, o presidente da Câmara fala num "dia histórico para o concelho".

"É um dia que todos acreditamos ser o início do fim desta pandemia, sabemos que o caminho será longo, mas este primeiro passo enche-nos de esperança", destaca Elísio Oliveira.

Segundo a autarquia, ao longo de três dias, serão vacinadas, com esta primeira dose, 344 pessoas, sendo 196 utentes e 148 profissionais, na Unidade de Cuidados Continuados e no Lar Morgado do Cruzeiro (valências da Santa Casa da Misericórdia local), no Centro Social da Paróquia de Mangualde, na Associação Cultural da Freixiosa e, ainda, no Centro Paroquial de Santiago de Cassurrães. 

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts