A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Operadora de transportes Transdev visada na operação “Rota Final” da PJ

12-06-2019
 

A operadora de transportes públicos Transdev é uma das visadas nas buscas realizadas esta quarta-feira (12 de junho) pela Polícia Judiciária (PJ), que se estenderam a 18 câmaras das regiões Norte e Centro, no âmbito da operação Rota Final, disse uma fonte policial. “Para já, não há nenhum detido”, acrescentou.

De acordo com dados oficiais disponíveis no portal base.gov, desde o início de 2018, a Transdev acumulou mais de dois milhões de euros em 38 contratos por ajuste direto com municípios do Norte e Centro do país.

No último ano, de acordo com o base.gov, o município da Guarda realizou contratos por ajuste direto com a Transdev de quase meio milhão de euros e Lamego de quase 100 mil euros.

Além do transporte escolar e de em alguns municípios assegurar os transportes públicos urbanos, a Transdev, que tem cerca de 1.900 colaboradores, detém 11 empresas e participações na Internorte, Intercentro, Rede Nacional de Expressos, Renex e Rodoviária do Tejo, segundo informação disponível no seu site.

A Transdev é uma empresa multinacional criada em França, estando presente em cinco continentes e 19 países, incluindo Portugal, e conta com redes de metro ligeiro e 13 meios diferentes de transporte. Em Portugal, a multinacional foi responsável pela exploração da rede de Metro do Porto entre 1997 e 2010.

A empresa atua com maior relevo nas regiões de Guarda, Aveiro, Coimbra e Viseu. Na Europa, conta com cerca de 100 redes urbanas e 50 redes interurbanas em sete países diferentes. Em 2016, o volume de negócios da Transdev situava-se nos 6.700 mil milhões de euros.

A operação “Rota Final” relaciona-se com um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública.

As buscas mobilizaram meios da Diretoria do Norte da PJ, com o apoio de vários departamentos de investigação criminal e da Diretoria do Centro, no âmbito de um inquérito titulado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra.

Ao todo, foram 50 as buscas realizadas, envolvendo 200 elementos da Polícia Judiciária - inspetores, peritos informáticos, peritos financeiros e contabilísticos.

Entre as 18 câmaras municipais alvo de buscas, constam Armamar, Cinfães, Lamego, Moimenta da Beira e Tarouca, do distrito de Viseu.

“Mediante atuação concertada de quadros dirigentes de empresa de transporte público, de grande implementação em território nacional com intervenção de ex-autarcas a título de consultores, beneficiando dos conhecimentos destes, terão sido influenciadas decisões a nível autárquico com favorecimento na celebração de contratos públicos de prestação de serviços de transporte, excluindo-se das regras de concorrência, atribuição de compensação financeira indevida e prejuízo para o erário público”, afirma a PJ, em comunicado a propósito deste caso.

Também no recrutamento de funcionários se terão verificado situações de favorecimento, ainda segundo a PJ.

A investigação prossegue “para determinação de todas as condutas criminosas, seu alcance e respetivos agentes”, esclarece a polícia.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT