A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Polémica à volta de carro usado por vereador em Viseu

Viseu, PS, Câmara, política, processo, polémica
 

Lúcia Silva

Vereadora do PS na Câmara Municipal de Viseu


 

Jorge Sobrado

Vereador da Cultura na Câmara de Viseu


 

Almeida Henriques

Presidente da Câmara Municipal de Viseu


10-01-2019
 

Os socialistas na Câmara de Viseu pediram, durante a reunião do executivo desta quinta-feira, esclarecimentos sobre a utilização de uma viatura da Litocar pelo vereador Jorge Sobrado, que é também administrador da Viseu Marca. O tema foi introduzido pela vereadora Lúcia Silva, que questionou o presidente da autarquia sobre o que o PS considera ser uma "utilização indevida da viatura". A vereadora diz que é “público e notório” o facto de Jorge Sobrado utilizar “há vários meses para o dia-a-dia” um Renault Captur da propriedade da concessionária Litocar. Por esta questão, exigiu explicações ao executivo sobre o caso “para que se dissipe qualquer suspeição”.

“No âmbito de um contrato de patrocínios com a Litocar, a Viseu Marca tem um conjunto de serviços gratuitos. Essa viatura não custa nem um cêntimo ao município, nem à Viseu Marca”, justificou Jorge Sobrado, apelidando a atitude dos vereadores socialistas de “micropolítica rasteira” e não excluindo a possibilidade de avançar com um processo em tribunal por tentativa de difamação. Jorge Sobrado não tem dúvidas de que a denúncia do PS é “uma tentativa de tocar o meu bom nome”.

O presidente da Câmara, Almeida Henriques, acusou Lúcia Silva de ter tido uma “atitude maldizente e mesquinha”.

“Denota um mau caráter, até diria quase um caráter pidesco. (…) É deplorável esse tipo de atitudes e rejeitamos liminarmente as acusações”, disse o autarca, que acrescenta que o PS colocou em causa o caráter e a honra do vereador da Cultura.

Almeida Henriques reitera ainda que todos os elementos do seu executivo, incluindo Jorge Sobrado, utilizam os carros pessoais nas deslocações para o trabalho. “No exercício das funções e no dia-a-dia, o Jorge Sobrado tem de tratar várias coisas em nome da Viseu Marca e outras em nome do Município. Se vai a uma deslocação em nome da Viseu Marca, não deve usar os meios do Município e aí seria errado”, defendeu.

Em resposta a esta polémica, a própria Viseu Marca esclareceu em comunicado que a viatura em causa foi cedida pela Litocar ao abrigo de um contrato celebrado em maio de 2018 e que se encontra "plenamente em vigor", sendo a utilização por qualquer elemento afeto à empresa legitimado pelo documento. A Viseu Marca também repudia "qualquer tentativa de manchar o bom nome de pessoas, marcas e instituições, que trabalham e cooperam em prol dos fins estatutários".





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT