A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Preço da água pode ser revisto em cinco concelhos da região

 

Almeida Henriques

Presidente da Câmara de Viseu


 

Baila Antunes

Vereador do PS na Câmara de Viseu


 

Rui Ladeira

Presidente da Câmara de Vouzela


12-07-2019
 

O preço da água pode ser revisto, nos concelhos de Viseu, Mangualde, Penalva do Castelo, Nelas e Sátão com a criação de uma nova empresa intermunicipal do setor, admitiu Almeida Henriques, presidente da Câmara de Viseu.

Após a reunião de quinta-feira (11 de julho) do executivo camarário, o responsável disse que a função da nova empresa, que vai servir para o fornecimento de água em alta, “termina na entrega de água nos reservatórios de cada um dos municípios". 

“Daí para a frente, os municípios têm a responsabilidade de distribuir água às residências e à indústria e a definição do preço é a que entenderem. A empresa irá fornecer água ao mesmo preço a todos  e o tarifário em cada concelho é da responsabilidade de cada um”, sublinha.

Almeida Henriques considera ainda que o entendimento entre os cinco municípios “é a solução para um problema grave do passado”, como foi a falta de água de há dois anos.

Também a oposição socialista se mostrou agradada com a solução. O vereador Pedro Baila Antunes diz que as novas soluções são as que foram apontadas pelo PS, há dois anos, “nomeadamente a Barragem de Fagilde (que está abrangida nos planos da nova empresa e vai passar a contar com Sátão no grupo de concelhos abastecidos), a ligação redundante e, acima de tudo, a eficiência hídrica e a poupança a vários níveis”.

“Temos de estar do lado desta solução. Só fizemos três notas: que esta não seja uma via para a privatização, que os direitos laborais dos colaboradores dos SMAS (serviços municipalizados de água e saneamento) sejam devidamente acautelados e que isto não seja uma justificação para aumentar o tarifário da água”, remata Baila Antunes.

O documento de entendimento entre Viseu, Mangualde, Penalva do Castelo, Nelas e Satão é assinado na manhã de sábado (dia 13), na presença do ministro do Ambiente, Matos Fernandes.

Vouzela ainda está interessada numa solução intermunicipal

A solução que junta cinco dos concelhos do distrito de Viseu surge depois de, no ano passado, ter sido chumbado o projeto da empresa Águas de Viseu que envolvia oito municípios, a pensar no saneamento e abastecimento de água.

O município de Vouzela, um dos concelhos envolvidos, continua a mostrar-se disponível para integrar uma plataforma intermunicipal. O anseio foi anunciado ao Jornal do Centro pelo presidente da Câmara local, Rui Ladeira.

O autarca afirmou que não foi contactado para o novo projeto, mas disse que não coloca de lado a hipótese de no futuro vir a aderir.

“Eu e a minha equipa defendemos a perspetiva de um sistema partilhado, agregado, mais eficiente, mais competente, menos dolorosa e com um tarifário mais ajustado à plataforma de gestão integrada. O município de Vouzela está sempre disponível para eventualmente integrar, até porque está encostado a Viseu e a toda esta área central com os municípios à volta”, disse.

Além de Vouzela, também integravam o projeto da Águas de Viseu os municípios de S. Pedro do Sul e Vila Nova de Paiva. O Jornal do Centro ainda não conseguiu chegar à fala com os respetivos autarcas.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT