A OUVIR 98.9 FM
           00:00:00 | 00:00:00        
      
  
 
        

Viseu alarga contrato local de segurança a bairros urbanos

11-07-2019
 

O presidente da Câmara de Viseu anunciou esta quinta-feira (11 de julho) que vai assinar contratos-programa com o Governo, através do ministro da Administração Interna, para alargar o contrato local de segurança existente no centro histórico a alguns bairros urbanos da cidade.

“Aprovámos hoje o protocolo, que tem estado em análise, com o Ministério da Administração Interna, a propósito do nosso contrato local de segurança, que só abrangia o nosso centro histórico e que passará a abranger também bairros urbanos de Viseu”, anunciou Almeida Henriques.

O autarca anunciou aos jornalistas no final da reunião do executivo que, para a assinatura deste contrato-programa com o Governo, conta com a presença do ministro da Administração Interna em Viseu, no dia 24.

A presença em Viseu de Eduardo Cabrita tem também o intuito de inaugurar o novo quartel dos Bombeiros Municipais de Viseu que têm novas instalações no Aeródromo Municipal Gonçalves Lobato, apesar de continuarem com uma presença de efetivos no centro da cidade, onde estão atualmente.

O autarca também anunciou que, na reunião desta quinta-feira, foi adjudicada a obra, que tinha sido lançada há três meses, do Centro de Mobilidade Operacional de Viseu, orçada em 4,6 milhões de euros e que deverá “arrancar em setembro, com um prazo de execução de ano e meio”.

Ainda dentro da mobilidade urbana, Almeida Henriques anunciou que o parque de estacionamento da Santa Cristina “vai entrar em obras e ser requalificado, faltando apenas o visto do Tribunal de Contas para, talvez em setembro, arrancar a obra”.

Nessa altura, explicou o autarca, “prevê-se também iniciar formalmente a operação de instalação dos novos parcómetros de Viseu e também na parte da sinalética” que, segundo disse, “vai deixar toda a cidade com sensor de localização” de estacionamento.

“É como se fosse um parque de estacionamento coberto em que as pessoas vão ter a possibilidade de, antes de irem para uma rua, saberem se há ou não lugar para lá estacionar e evitarem gastar dinheiro no combustível e preservando também o ambiente da nossa cidade”, defendeu.

António Almeida Henriques lembrou ainda que, dentro do projeto da mobilidade urbana, estão também previstos para setembro o início das obras dos três novos parques de estacionamento da cidade: no Hospital, na Avenida Capitão Silva Pereira e no centro histórico, nas traseiras da Igreja da Misericórdia.





  • 2002 - 2019 - Jornal do Centro é uma marca registada da Legenda Transparente, lda
  • Desenvolvido por: WLC.PT