03 mar
Viseu

Região

Viseu: obras no Mercado 2 de Maio começam já em janeiro

por Redação

15 de janeiro de 2021, 10:40

Foto Arquivo Jornal do Centro

CLIPS ÁUDIO

As obras de construção da cobertura e de requalificação do Mercado 2 de Maio, em Viseu, arrancam já no próximo dia 25 de janeiro.

A empreitada, anunciada sucessivamente nos anos anteriores, vai agora avançar e está orçada em 4,3 milhões de euros, sendo financiada por fundos comunitários. Os trabalhos foram agora entregues ao empreiteiro vencedor.

O presidente da Câmara, Almeida Henriques, salienta que a intervenção vai transformar o dois de maio numa “praça de restauração e eventos” durante todo o ano.

“Vai-se transformar na praça mais central de todo este centro comercial de ar livre que é o centro histórico, criando condições para que ela possa ser usadas nos 12 meses do ano. Portanto, com a sua cobertura e as valências que vai ter, o Mercado 2 de Maio deixará de ser um ‘cemitério’, como alguns comerciantes o chamam, porque não tem pessoas exceto quando decorrem eventos”

Almeida Henriques garante que esta “não é uma obra qualquer”. A cobertura, composta por duas palas, vai ter painéis fotovoltaicos que vão produzir energia elétrica, o que constitui como um “fator diferenciador que vai logo distinguir em relação a outras obras”, uma vez que, segundo o autarca, vai ser aplicada pela primeira vez em Portugal neste tipo de projeto.

“Poderíamos ter optado por uma cobertura simples, mas, com as preocupações energéticas que temos, não podíamos deixar de pensar numa solução que fosse efetivamente amiga do ambiente”, diz.

No Mercado, as árvores vão se manter. Lá, vai nascer um pequeno lago e as lojas serão requalificadas. A maioria dos comerciantes vai poder regressar à praça. Almeida Henriques refere, que até à conclusão dos trabalhos, os lojistas vão ficar no centro histórico.

“A negociação está praticamente concluída. Há, pelo menos, um comerciante que irá fazer rescisão do contrato e não voltar, por opção, mas estamos a falar de estabelecimentos que saíram do espaço vão ficar na Rua Direita e também espalhados um pouco pelo centro histórico. No final das obras, daqui a 20 meses, as lojas vão voltar para o Mercado, embora com um novo regulamento de funcionamento”, explica Almeida Henriques.

As obras vão durar cerca de dois anos. O atual presidente da Câmara de Viseu diz que quer inaugurar a empreitada, dando já a entender que vai ser recandidato nas autárquicas deste ano.

Confrontado pelos jornalistas, não assumiu a candidatura, mas disse que o deve fazer no verão e repetiu que quer mesmo inaugurar as obras no Mercado 2 de Maio.

Ouça e trabalhe ao mesmo tempo

Destaques

Podcasts